24°
Máx
17°
Min

Compras de aço pela rede de distribuição sobe 20,5% em agosto, diz Inda

As compras de aço pela rede de distribuição em agosto subiram 20,5% em relação ao mesmo mês de 2015, totalizando 264,6 mil toneladas, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 20, pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda). Em relação a julho, as compras avançaram de 18,2%. O volume inclui chapas grossas, laminados a quente, laminados a frio, chapas zincadas a quente, chapas eletro-galvanizadas, chapas pré-pintadas e gavalume.

Já as vendas de aços planos realizadas pela rede de distribuição alcançaram 253,1 mil toneladas no mês passado, o que significou uma queda de 0,5% ante agosto de 2015. Na comparação com julho, foi registrada uma alta de 0,9%.

Com esse desempenho, os estoques da rede de distribuição ficaram em 883,3 mil toneladas em agosto deste ano, o que representou um aumento de 1,3% na relação mensal. O giro dos estoques ficou em 3,5 meses em agosto, estável ante julho.

As importações da rede caíram 53,1% na relação anual, para 44,6 mil toneladas em agosto. Ante julho, por outro lado, as importações tiveram alta de 13,7%.

Para setembro, o Inda projeta que tanto as vendas quanto as compras mantenham-se estáveis.

Carvão

A forte alta verificada nos preços globais do carvão deve fazer com que os preços internacionais do aço fiquem relativamente estáveis, afirmou o presidente do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), Carlos Loureiro.

"Não vejo chance do preço chinês cair com o carvão nos atuais níveis", disse Loureiro, durante entrevista coletiva à imprensa. "A China usa muito alto-forno."

Segundo o executivo, o carvão chegou a ser negociado em patamares próximos de US$ 80 por tonelada no início do ano, chegando agora ao nível de US$ 214 por tonelada. "O carvão deu um susto em todo mundo, e esse é um dos fatores que vai segurar muito o preço internacional do aço."