21°
Máx
17°
Min

Conselho da Cetip está prestes a recomendar venda à BM&F

Estão em curso os acertos finais para o anúncio da combinação das atividades entre BM&FBovespa e Cetip, apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real a Agência Estado. A expectativa é que a recomendação pelo Conselho de Administração da depositária aconteça na próxima semana.

O preço da ação da Cetip na oferta vinculante, de R$ 41, será mantido, ainda que, na prática, o valor seja maior por conta da valorização recente do papel da Bolsa. Mesmo assim, os acionistas terão a oferta mais atrativa, já que foi definido que o ajuste do CDI será dado a partir da reunião do Conselho da Cetip, e não mais da assembleia que aprovar a união das companhias, segundo fontes.

As negociações avançaram e ganharam um fôlego depois de a ICE, maior acionista da Cetip com 12% de participação, se posicionar a favor da oferta, apurou o Broadcast. Após recomendação por parte do colegiado da Cetip, a combinação das atividades deverá ser aprovada em assembleia dos acionistas e, posteriormente, pelo Banco Central (BC), Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e ainda pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Essa seria a sexta vez que a Bolsa tenta adquirir a Cetip.

O atual nível de preço das ações da Bolsa é atrativo para os acionistas da Cetip, já que a proposta vinculante feita em fevereiro estabeleceu como forma de pagamento 75% do valor em dinheiro e o restante em papéis da própria companhia.

Ou seja: quanto mais alto o valor da ação, mais elevada acaba sendo a oferta, já que a mesma usou para cálculo o preço da ação antes que as negociações entre as empresas se tornassem públicas, no último dia útil de outubro, quando era cotada a R$ 11,40. Com isso, qualquer número acima desse torna o valor da oferta superior a R$ 41.

Uma das preocupações que teria atrasado o anúncio da oferta seria o ambiente volátil e o temor de alguma notícia possa pressionar as ações da BM&FBovespa para baixo. Por isso, os assessores financeiros contratados buscam uma garantia de um preço mínimo para a ação da Bolsa, disse uma fonte. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.