22°
Máx
17°
Min

Consumidores do Japão veem menos chance de elevação dos preços, diz pesquisa

Menos japoneses acreditam que os preços no país devem subir no próximo ano, segundo uma pesquisa do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) divulgada nesta quinta-feira. Trata-se de uma possível indicação de que os consumidores se preocupam mais com a atual fraqueza da economia que com as mensagens positivas dos formuladores da política sobre o futuro.

A pesquisa de setembro mostrou que 65,1% dos cerca de 2.200 consumidores consultados esperam que o índice de preços ao consumidor suba ao longo do próximo ano, o patamar mais baixo em quase quatro anos. Em junho, 72,4% esperavam uma alta na inflação.

A queda ocorre mesmo após o BoJ ter duplicado suas compras de bônus em julho. As empresas japonesas também reduziram suas projeções de inflação, o que indica um ceticismo generalizado de que os preços possam subir.

O primeiro-ministro Shinzo Abe poderia enfrentar mais pedidos para que tome medidas, em meio ao crescente consenso entre os economistas de que o estímulo fiscal e as mudanças estruturais precisam acompanhar a política monetária para enfrentar o temor de que o país fique preso em um quadro de deflação.

Os consumidores japoneses mantêm expectativa fraca para os preços desde 2015, quando o índice de preços entrou em território negativo. Novos estímulos monetários ainda não tiveram o efeito desejado pelas autoridades. O banco central diz que ainda levará tempo para que a alta real nos preços mude a percepção dos japoneses.

A pesquisa mostrou que 4,6% das pessoas consultadas acreditam que os preços devem recuar no próximo ano, alta em comparação com os 3,4% de junho. Na média, os consumidores esperam que os preços subam 3,3% ao longo do próximo ano, no patamar mais baixo desde a projeção de alta de 3% da pesquisa de dezembro de 2012. Fonte: Dow Jones Newswires.