22°
Máx
14°
Min

Corte no orçamento inviabiliza Censo Agropecuário em 2017, diz IBGE

(Foto: Claudio Fachel/Palácio Piratin) - Corte no orçamento inviabiliza Censo Agropecuário em 2017, diz IBGE
(Foto: Claudio Fachel/Palácio Piratin)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) adiou mais uma vez a realização do Censo Agropecuário, previsto até então para 2017, por causa de cortes em seu orçamento. O órgão necessitava de R$ 330,8 milhões para realizar a preparação da pesquisa ainda neste ano, mas a Lei Orçamentária Anual (LOA) aprovada pelo Congresso Nacional reduziu esse montante a R$ 266,8 milhões.

A direção do IBGE vinha tentando restaurar a previsão de recursos ao estimado inicialmente. O valor é necessário às atividades de preparação da operação censitária e à aquisição de equipamentos, tarefas previstas para este ano e "essenciais à execução da pesquisa no início de 2017".

"Entretanto, estas iniciativas de recomposição do orçamento não tiveram êxito. Diante dessa realidade, o Censo Agropecuário está adiado, e uma nova data para sua realização está condicionada à liberação dos recursos necessários em tempo hábil à organização da operação", afirmou o IBGE, em nota.

A pesquisa tem custo estimado em R$ 1,687 bilhão - R$ 330,8 milhões que seriam desembolsados neste ano, na fase preparatória, e cerca de R$ 1,3 bilhão no ano que vem. Desse montante, R$ 1 bilhão seria direcionado apenas para a contratação de entrevistadores que aplicam os questionários.

O IBGE já havia lançado processo seletivo para preencher 1.409 vagas temporárias destinadas ao Censo Agropecuário. Com a decisão, o concurso também está suspenso, e os inscritos no processo seletivo terão os valores das inscrições reembolsados. A Cesgranrio, empresa responsável pela organização da seleção, informará os candidatos sobre os procedimentos a serem adotados.

O Censo Agropecuário é uma pesquisa que abrange diversas frentes do setor no Brasil. Os resultados fornecem informações desde segurança alimentar até agricultura familiar, passando por questões macroeconômicas, como preço de alimentos e balança comercial, além de abordar temas relativos a sustentabilidade e preservação ambiental. A última edição da pesquisa foi realizada em 2006.

Os adiamentos de pesquisas censitárias do IBGE têm sido recorrentes. No ano passado, o órgão abriu mão da Contagem da População após dois adiamentos seguidos - a pesquisa, realizada em anos terminados em 5, ficava cada vez mais próxima do Censo 2020, perdendo sua razão de ser segundo a própria diretoria. O instituto também havia pleiteado recursos para a preparação do Censo Agropecuário no Orçamento de 2015, sem sucesso.

O IBGE ressaltou que as demais atividades previstas para 2016 em seu plano de trabalho estão, "até o momento", preservadas.