22°
Máx
17°
Min

CPI do México avança 2,6% em maio na comparação anual, mas segue abaixo da meta

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do México sofreu um recuo mensal em maio, em grande medida graças ao custo mais baixo com eletricidade. Diante disso, a inflação anual, ainda que tenha acelerado um pouco, continuou abaixo da meta do Banco Central do México, de 3% ao ano.

O CPI caiu 0,45% na comparação mensal em maio, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas, em linha com a previsão dos analistas. A taxa anual acelerou levemente, de 2,54% em abril para 2,6% em maio.

O núcleo do CPI, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, também acelerou levemente, para uma alta anual de 2,93% em maio.

Os custos com eletricidade contribuíram para a maior parte do declínio em maio, já que subsídios da época do verão que ajudam com o custo do uso de ar-condicionado entraram em vigor em dez cidades. A queda sazonal deve ser revertida em novembro, quando esses subsídios são retirados. O custo mais baixo com eletricidade é em parte contrabalançado pelos preços mais altos pelo gás natural usado em residências e pela gasolina.

Em relatório do mês passado, o BC mexicano disse esperar que a inflação siga abaixo da meta de 3% nos próximos meses. A instituição acredita, porém, que a taxa pode temporariamente superar esse nível, mais para o fim do ano. Houve uma mudança no país neste ano no estabelecimento de preços da gasolina, para dar a eles uma maior flexibilidade. Os preços internacionais da gasolina tendem a subir no verão dos EUA, com a maior demanda dos motoristas desse país. Fonte: Dow Jones Newswires.