22°
Máx
16°
Min

Déficit primário de R$ 18,1 bi é o pior resultado da história para meses de maio

O déficit primário de R$ 18,125 bilhões registrado em maio é o pior para o mês na série histórica iniciada pelo Banco Central (BC) em dezembro de 2001.

O resultado negativo já era previsto pelo mercado financeiro. Mesmo assim, o rombo das contas públicas no mês passado veio pior do que a estimativa mais negativa prevista pelo mercado financeiro.

Analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções esperavam um déficit de R$ 13,5 bilhões a R$ 17,5 bilhões, com mediana negativa de R$ 15,2 bilhões.

As contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 13,714 bilhões nos primeiros cinco meses do ano, conforme o Banco Central. A quantia representa 0,55% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, havia superávit primário no valor de R$ 25,547 bilhões ou 1,06% do PIB. No acumulado de janeiro a abril, o superávit estava em R$ 4,411 bilhões.

No acumulado de 12 meses até maio, as contas do setor público atingiram um déficit primário de R$ 150,510 bilhões, o equivalente a 2,51% do PIB. Esse porcentual continua a ser o maior da série histórica do BC iniciada em dezembro de 2001. Segundo o Banco Central, portanto, o esforço fiscal piorou em 12 meses em relação ao período encerrado em abril, quando estava em 2,33% do PIB (R$ 139,285 bilhões).