22°
Máx
16°
Min

Demanda doméstica recua 6,9% em julho ante julho de 2015, revela Anac

A demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros registrou queda de 6,9% em julho de 2016, comparada com o mesmo mês de 2015, enquanto a oferta registrou redução de 8,1%, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Com o resultado de julho de 2016, a demanda doméstica completou 12 meses de retração. Segundo a agência, a oferta doméstica apresentou a décima primeira baixa sucessiva do indicador. No acumulado do ano, a demanda doméstica registra queda de 6,6% e a oferta redução de 6,2% no mesmo período.

Entre as principais empresas aéreas brasileiras, informa a Anac, apenas a Avianca apresentou crescimento na demanda doméstica em julho, quando comparada com o mesmo mês de 2015, da ordem de 20,5%. Latam, Azul e Gol registram retração de 11,6%, 8,5% e 6,8%, respectivamente.

A taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos operados por empresas brasileiras (RPK/ASK) em julho, conforme a agência, foi da ordem de 84,5%, o que representa aumento de 1,4% em relação ao mesmo mês de 2015. "O resultado foi recorde para um mês desde o início da série em 2000", destaca a Anac. No período de janeiro a julho de 2016, o aproveitamento doméstico foi de 80,0%, frente a 80,4% do mesmo período de 2015, o que representou redução de 0,5%.

O número de passageiros pagos transportados no mercado doméstico em julho atingiu 8,1 milhões, caindo 10,1% em relação a julho de 2015 e completando, também, 12 meses consecutivos de retração. No período de janeiro a julho de 2016, a quantidade de passageiros transportados acumulou redução de 8,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A quantidade de carga paga transportada no mercado doméstico foi de 26,9 mil toneladas em julho, o que representa queda de 4,3% em relação a julho de 2015. No período de janeiro a julho de 2016, a carga paga doméstica transportada acumulou redução de 9,7% ante mesmo período de 2015, atingindo 176,8 mil toneladas.

Mercado internacional

A demanda do transporte aéreo internacional por empresas aéreas brasileiras registrou queda de 4,6% em julho, em comparação a igual mês de 2015, enquanto a oferta internacional apresentou redução de 7,5% no mesmo período. Com o resultado de julho de 2016, a demanda internacional registrou o quinto mês consecutivo de queda. A oferta internacional também está em retração há cinco meses.

No acumulado do ano ante julho, a demanda internacional diminuiu 3,0% em relação ao mesmo período de 2015. A oferta internacional caiu 2,7% no período.

Latam, Gol e Azul representaram praticamente a totalidade das operações de empresas brasileiras no transporte aéreo internacional de passageiros em julho, com participações de mercado de 77,8%, 12,7% e 9,4%, respectivamente.

A taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves em voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras foi de 85,6% em julho, contra 82,9% no mesmo mês de 2015, representando uma variação positiva de 3,2%. Trata-se do maior nível já alcançado em um mês desde o início da série histórica em 2000, destaca a Anac.

O número de passageiros pagos transportados por empresas brasileiras no mercado internacional em julho atingiu 692,8 mil. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o indicador apresentou queda de 0,2%. O número está em retração há quatro meses consecutivos. No período de janeiro a julho de 2016, a quantidade de passageiros transportados acumulou aumento de 1,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.