22°
Máx
14°
Min

Desemprego na Região Metropolitana de SP sobe para 17,6% em maio, diz Seade

A taxa de desemprego total na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) alcançou 17,6% em maio, alta de 0,8 ponto porcentual em relação ao patamar de 16,8% registrado em abril. Em maio do ano passado, o indicador havia ficado em 12,9%, segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira, 29, pela Fundação Seade e pelo Dieese.

A taxa de desemprego aberto subiu de 14,2% em abril para 15% em maio e o indicador de desemprego ficou estável em 2,6% em igual período.

O contingente de desempregados ficou em 1,977 milhão de pessoas em abril, 109 mil a mais do que no mês anterior. "Esse crescimento deveu-se, pelo segundo mês consecutivo, quase que exclusivamente à expansão da População Economicamente Ativa (112 mil pessoas ingressaram no mercado de trabalho da região, ou 1,0%), uma vez que o nível de ocupação permaneceu estável (geração de 3 mil postos de trabalho, ou 0,0%)", explica a Fundação Seade em nota.

O contingente de ocupados foi estimado em 9,255 milhão de pessoas no mês passado, praticamente estável em relação ao mês anterior (9,252 milhão de pessoas).

Setores

Por setor, o destaque negativo na comparação entre maio e abril ficou com Serviços (-2,0%, ou eliminação de 109 mil postos de trabalho) e Construção (-2,9%, ou -18 mil postos). A Indústria de Transformação (6,7%, ou geração de 93 mil postos de trabalho) e o Comércio e Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas (2,9%, ou 47 mil), por outro lado, foram os destaques positivos de maio.

Renda

Os rendimentos médios reais de pessoas ocupadas e assalariadas caíram na comparação entre março e abril. A renda, nesses casos, ficou em R$ 1.939 e R$ 2.004, respectivamente, queda de 1,2% e de 0,7%.