27°
Máx
13°
Min

Dólar avança 0,16%, apesar de recuperação do petróleo


O dólar à vista alternou pequenas altas e baixas durante toda esta sexta-feira, 12, e acabou fechando em alta de 0,16%, cotado a R$ 3,9953. A valorização frente ao real ocorreu mesmo diante da melhora do humor no mercado internacional, sustentado pela forte recuperação dos preços do petróleo e com o consequente aumento do apetite por risco dos investidores internacionais.

A moeda americana chegou a ceder em vários momentos, mas as preocupações de sempre com a economia brasileira e a proximidade do fim de semana limitavam o movimento. No exterior, os ganhos do petróleo foram firmes desde o período da manhã, em meio à expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) possa coordenar um corte de produção.

O avanço do petróleo em Nova York e em Londres favoreceu as moedas de alguns países produtores, como o rublo russo e o peso mexicano, em detrimento do dólar. O Brasil, que também é produtor, viu o dólar cair em alguns momentos, mas o movimento não se firmou. Neste cenário, o dólar à vista marcou a máxima de R$ 4,0037 (+0,37%) às 10h29 e a mínima de R$ 3,9669 (-0,55%) às 14h39. Da máxima para a mínima, a moeda americana oscilou -0,92%

O noticiário doméstico foi escasso, tendo como um dos principais destaques a confirmação de Otávio Ladeira como secretário do Tesouro Nacional. A nomeação do economista foi bem recebida pelos analistas ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que o consideram sério, competente e avesso a atitudes controvertidas.

Outro destaque do dia foi a viagem da presidente Dilma Rousseff a São Paulo, nesta tarde, para um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. PT e Palácio do Planalto aguardam uma resposta de Lula sobre o sítio usado por ele em Atibaia, alvo de inquérito da Operação Lava Jato, para traçar uma estratégia de defesa do petista.