23°
Máx
12°
Min

Dólar recua com exterior, leilão de linha e fator político no radar

O dólar recua ante o real nesta quarta-feira, 9, em meio à alta do petróleo e cobre e também das bolsas internacionais. Um leilão de linha de até US$ 2 bilhões do Banco Central à tarde (15h15) é outro fator favorável ao recuo da moeda americana, além do noticiário político. Lá fora, a moeda americana também recua frente a divisas emergentes e ligadas a commodities.

Segundo um operador, ao anunciar o leilão de linha, o Banco Central sinaliza que o dólar ao redor de R$ 3,75 pode ser um "nível ideal" para o câmbio, o que ajuda na pressão de baixa nesta quarta. Antes dessa operação, entre 11h30 e 11h40, o BC realiza rolagem de swap cambial de abril, com oferta de até 9.600 contratos para três vencimentos.

Em relação ao quadro político, a crise no governo de Dilma Rousseff segue no centro das atenções. O investidor estará atento ao risco de a presidente ter que escolher um novo ministro da Justiça, caso o Supremo Tribunal Federal se posicione nesta quarta contra a permanência do novo ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva, à frente da pasta.

Até a terça-feira, o governo tentava encontrar "um grande jurista" para ficar de sobreaviso, caso o atual titular tenha de deixar o cargo assumido na semana passada.

Outro assunto que deve ser monitorado é o de que o PT estaria pressionando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir um ministério para obter foro privilegiado diante do avanço das investigações na Lava Jato, em caso de ter a prisão decretada. Lula deve ter um encontro nesta quarta, em Brasília, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL), e com o ex-senador José Sarney (PMDB-AP), para tentar evitar que o PMDB rompa a aliança com o governo.

Às 9h58, o dólar à vista no balcão caía 0,46%, a R$ 3,7208. O dólar para abril tinha queda de 1,01%, a R$ 3,7405.