28°
Máx
17°
Min

Draghi pede apoio para impulsionar economia e alerta para falta de reformas

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, pediu aos governos europeus para desempenhar o seu papel para impulsionar o crescimento e a inflação na região, alertando que a falta de reformas econômicas está tornando o trabalho do BCE mais difícil.

"Se outras políticas não estão alinhadas com a política monetária, a inflação volta ao nosso objetivo em um ritmo mais lento", disse Draghi em um discurso para os membros de política monetária em Bruxelas.

O BCE lançou uma gama abrangente de medidas de estímulo nos últimos anos, que vão desde taxas de juros negativas até mais um trilhão de euros em compras de títulos. Mas a inflação continua muito aquém da meta do banco central, que é próximo a 2%, chegando a -0,1% no mês passado.

O BCE "pode agir de forma decisiva para apoiar a demanda, para estabilizar as expectativas de inflação e evitar efeitos negativos sobre os salários e preços, que é exatamente o que o BCE tem feito ao longo dos últimos dois anos", disse Draghi. "Mas as políticas governamentais também influenciam na velocidade da recuperação da economia", disse ele.

Ele alertou que as repetidas tentativas para tornar a Europa a economia mais competitiva e dinâmica do mundo "têm produzido apenas resultados escassos", e apelou a uma série de reformas econômicas que visem à redução das barreiras ao comércio e ao aumento do emprego.

"Dadas as perspectivas fracas para o crescimento na zona do euro, enfrentar o desafio da produtividade não pode mais ser adiado", disse ele. A "vitória rápida" mais poderosa, acrescentou, seria completar o mercado único europeu, especialmente em serviços, disse ele. Fonte: Dow Jones Newswires.