24°
Máx
17°
Min

Eletrobras vai recorrer de suspensão na Bolsa de Nova York

A Eletrobras deve entrar nesta quinta-feira, 19, com recurso contra a suspensão de suas ações na Bolsa de Nova York (Nyse), segundo o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho. A intenção é que, nos 90 dias em que a bolsa americana estiver analisando o recurso, o formulário 20-F da empresa seja liberado para divulgação e o processo de listagem seja interrompido.

No comunicado divulgado na quarta informando sobre a suspensão, a bolsa destacou a possibilidade de recurso: "A companhia tem o direito de uma revisão dessa determinação por um comitê do conselho de administração da divisão de regulamentação da Nyse."

A auditoria responsável por analisar as contas da Eletrobras resiste a validar o resultado financeiro de 2014 até que sejam concluídas as investigações da Polícia Federal de um suposto esquema de corrupção na empresa. Sem a validação das demonstrações contábeis, a companhia não é capaz de apresentar o formulário 20-F.

As demonstrações contábeis de 2015 também não foram auditadas, mas, nesse caso, os prazos não foram ultrapassados.

"Faremos todo o esforço possível para que a investigação seja concluída, para dar conforto para a auditoria independente assinar o balanço e (as ações) voltarem a ser negociadas antes do deslistamento (suspensão da bolsa)", afirmou Bezerra Filho, depois de participar do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase), no Rio.

O novo ministro classificou a situação da Eletrobras como gravíssima e indicou que uma solução "não depende só do ministério". Ainda assim, disse que conduzirá um debate sobre a crise financeira da companhia no governo. Ele disse ainda que há um consenso sobre a gravidade da situação e que é necessário vender ativos, processo já em andamento. A companhia prepara a venda da distribuidora de energia de Goiás (Celg).

"É consenso a necessidade de desmobilização de ativos da Eletrobras, mas tudo será feito em conjunto com o ministro Moreira Franco e o Ministério do Planejamento para que a gente possa apresentar um projeto que tenha condições de reorganizar o sistema elétrico brasileiro", disse o ministro.

Moreira Franco vai coordenar o Programa de Parceria de Investimento (PPI), responsável pelas concessões à iniciativa privada de ativos ligados ao governo.

A Eletrobras não se pronunciou. Em fato relevante, disse que mantém contato com a SEC e com a bolsa americana. O diretor financeiro e de relações com investidores da Eletrobras, Armando Casado de Araújo, disse, segunda-feira, já na iminência do descumprimento do prazo dado pela SEC, que a não entrega do documento não implica aceleração das dívidas. "Nossos contratos não têm cláusulas expressas ou de deslistagem ou de vencimento de dívida. Todos nossos covenants estão relacionados às nossas demonstrações financeiras, as quais se arquivam no Brasil e que estão devidamente arquivadas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.