26°
Máx
19°
Min

Em compasso de espera por Dilma e com dólar, taxas de juros têm viés de alta

Os juros futuros têm viés de alta na manhã desta segunda-feira, 29, acompanhando o dólar e também refletindo a cautela dos investidores antes do discurso da presidente afastada, Dilma Rousseff, no Senado. No exterior, o petróleo cai e o dólar avança diante da perspectiva de alta de juros nos Estados Unidos, em semana de relatório de emprego do país, na sexta-feira.

Os acompanhantes de Dilma já estão no plenário do Senado para acompanhar seu depoimento. Entre eles, está o cantor e compositor Chico Buarque. Ex-ministros como Juca Ferreira, Nelson Barbosa, Jaques Wagner também já estão no local.

Às 9h29, o DI para janeiro de 2018 estava em 12,79%, de 12,77% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 exibia 12,31%, de 12,29%. O vencimento para janeiro de 2021 abre a 12,18%, de 12,17% no ajuste anterior.

A Focus colabora para uma percepção negativa do investidor ao mostrar revisão para cima das as previsões para a inflação tanto em 2016 quanto em 2017. Para 2017, que é o foco do Banco Central, o mercado segue projetando um cenário de inflação menor, mas desta vez a estimativa subiu de 5,12% para 5,14%. Há quatro semanas, estava em 5,20%. A projeção para a inflação neste ano subiu de 7,31% para 7,34%.