21°
Máx
17°
Min

Em linha com exterior e petróleo, blue chips fazem Bovespa renovar mínimas

A Bovespa abriu em queda nesta segunda-feira, 22, seguindo o movimento observado nas bolsas da Europa e nos futuros de Nova York. Depois da abertura dos índices no mercado à vista em Nova York, o Ibovespa passou a renovar a pontuação mínima da sessão. Às 11h11, marcou 58.195 pontos (-1,53%), menor pontuação até o momento.

"É um movimento de realização de lucros que já deveria ter começado dias atrás, mas não víamos condições para isso", afirmou o gerente da mesa de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo dos Santos. O petróleo em forte queda surte influência negativa, em um dia de fraca agenda doméstica.

As ações da Petrobras estavam entre as líderes do ranking de maiores baixas do Ibovespa, seguidas da ON da Vale. A ON da petroleira recuava 2,92% e a PN, -2,27%perto do horário acima. O petróleo Brent (contrato para outubro) perdia 2,65% de valor, enquanto o WTI (contrato para outubro), -2,57%. Os agentes do setor seguem preocupados com o volume de produção mundial e com a decisão dos países membros da Opep sobre o quanto produzem.

Apesar de o minério de ferro ter fechado a segunda em leve alta, as ações da Vale (ON -2,25% e PNA -2,16%) estão em queda. Os índices em Nova York também exibem sinal negativo: Dow Jones cedia 0,05% e S&P 500 caía 0,04% .

A desvalorização das ações acontece em meio à expectativa com o discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen, programado para sexta-feira.