23°
Máx
12°
Min

Estoque de crédito cai 0,6% em abril para R$ 3,142 trilhões, revela Banco Central

O estoque de operações de crédito do sistema financeiro caiu 0,6% em abril ante março e chegou a R$ 3,142 trilhões, conforme informou nesta quarta-feira, 25, o Banco Central (BC). Em abril de 2015, o estoque de operações de financiamento estava em R$ 3,061 trilhões. Em 12 meses, houve alta de 2,7% e, no primeiro quadrimestre deste ano, recuo de 2,4% sobre o mesmo período do ano passado.

Houve redução de 1,0% para pessoas jurídicas e manutenção de patamar entre consumidores em abril na comparação com março. Em 12 meses, a alta é de 0,5% para as empresas e de 5,0% para a pessoa física. No quadrimestre, há queda de 4,9% para empresas e avanço de 0,5% para o consumidor.

De acordo com a autoridade monetária, o estoque de crédito livre foi reduzido em 0,9% no mês e 3,6% nos primeiros quatro meses de 2016, mas cresceu 0,2% na comparação de 12 meses com período equivalente anterior. Já no caso do crédito direcionado, caiu 0,2% em abril ante março e 1,1% no primeiro quadrimestre em relação a igual período do ano passado, mas subiu 5,3% no acumulado de 12 meses.

No crédito livre, houve baixa de 0,4% para pessoas físicas no mês e de 1,1% no primeiro quadrimestre, mas alta de 1,4% no acumulado de 12 meses. Para as empresas, no crédito livre, houve redução de 1,3% em abril, 6,1% no primeiro quadrimestre e baixa de 1% em 12 meses.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 53,0% em março para 52,5% no mês passado. No fechamento de 2015, estava em 54,5%.

Veículos

O estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoa física recuou 1,6% de março para abril, segundo o Banco Central. Com isso, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 153,006 bilhões no mês passado - em março, o volume foi de R$ 155,456 bilhões. No acumulado de 12 meses até o mês passado, a queda nesse tipo de crédito é de 13,8% e, no quadrimestre, queda de 5%.

As concessões acumuladas em abril para financiamento de veículos para pessoa física somaram R$ 5,270 bilhões, o que representa uma queda de 12% em relação ao mês anterior (R$ 5,988 bilhões). No quadrimestre, a redução é de 20,4% e, em 12 meses, de 20,6%.

Habitação

As operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceram 0,1% em abril ante março, totalizando R$ 509,598 bilhões, de acordo com o Banco Central. Segundo o BC, R$ 65,184 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 444,414 bilhões a taxas reguladas. O BC deixou de incorporar nestes dados as operações com crédito livre, por serem residuais.

As operações a taxas de mercado apresentaram crescimento de 0,2% no mês, de 1% no quadrimestre e de 5,6% no acumulado de 12 meses. Já os financiamentos a taxas reguladas avançaram 0,1% ante o mês anterior, 2,1% no quadrimestre e 11,5% em 12 meses encerrados em abril.

Média de concessões

A média diária de concessões de crédito livre subiu 2,1% em abril em relação a março, para R$ 12,2 bilhões, de acordo com informações do Banco Central. Em 12 meses, houve queda de 2,5% na média diária e, no quadrimestre, de 7,4%.

No crédito direcionado, a média avançou 6,7% na comparação mensal. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 1,4 bilhão no mês passado. Em abril de 2015, o montante somava R$ 1,8 bilhão. Já no acumulado de 12 meses, houve queda de 20,0% e, no quadrimestre, de 25,6%.

Quando se junta o crédito livre mais o direcionado, a elevação é de 2,6% em abril ante março, num total de R$ 13,6 bilhões. A média diária em abril de 2015 era de R$ 15,2 bilhões.

Serviços

Houve variação de março para abril do estoque de crédito nos três setores de atividade: agropecuária, indústria e serviços. O crédito total recuou 1% na margem, para R$ 1,623 trilhão. A agropecuária cresceu 0,1%, a indústria recuou 1% e os serviços caiu também 1%. No crédito para pessoa jurídica com sede no exterior e créditos não classificados, o recuo foi de 2,5%.

O crédito para o setor de serviços ficou em R$ 765,056 bilhões em abril. Dentro desse setor, o comércio teve queda de 1,8% (R$ 281,779 bilhões) no mês passado. Em transporte, também caiu 1,5%, para R$ 159,195 bilhões. Na administração pública, houve alta de 0,6% para R$ 121,977 bilhões. A categoria "outros" caiu 0,6% para R$ 202,105 bilhões.

Indústria

Para a indústria, o crédito recuou na margem para R$ 796,698 bilhões. Na construção, houve baixa de 0,9% no mês passado, para R$ 107,817 bilhões. A indústria de transformação caiu 1,7% para R$ 441,843 bilhões. Já os serviços industriais de utilidade pública (SIUP) registraram aumento do crédito de 0,5% no mês passado, para R$ 202,564 bilhões. No caso da extrativa, houve uma queda de 1% em abril, para R$ 44,475 bilhões.

Setor agropecuário

Para o setor agropecuário, no entanto, o crédito manteve-se praticamente estável, avançando 0,1% em abril ante março, para R$ 24,109 bilhões.