22°
Máx
16°
Min

Estoque de crédito fica estável no banco público e cai no privado, diz BC

Os bancos públicos mantiveram seus estoques de crédito estáveis em janeiro, enquanto os privados registraram queda. De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 24, pelo Banco Central (BC), as instituições oficiais têm um saldo de R$ 1,799 bilhão. Nos bancos privados nacionais, houve recuo de 1,1% na margem, para R$ 937,335 bilhões ante previsão do BC de alta de 1% (revisada em dezembro a partir de 3%). Já no caso dos bancos estrangeiros, houve recuo de 2,0% no ano, para R$ 462,247 bilhões.

A inadimplência nas instituições públicas aumentou 0,1 ponto porcentual de dezembro para janeiro, para 2,8%. No caso das instituições privadas nacionais, a taxa subiu de 4,5% para 4,7% no ano e, nas estrangeiras, o calote aumentou no período de 3,5% para 3,7%.

Entre os bancos públicos, as provisões ficaram estáveis de dezembro para janeiro em 4,3%; nos nacionais privados, subiram de 8,4% para 8,5% e, nos estrangeiros, passaram de 6,1% para 6,3% no mesmo período de comparação.

Setores

O estoque de crédito apresentou retração entre dezembro de 2015 e janeiro deste ano nos três setores de atividade: agropecuária, indústria e serviços. O crédito total encolheu 1,3%, para R$ 1,685 trilhões. A agropecuária caiu 1,1%, a indústria, 1,3%, e os serviços, 1,3%, segundo dados do Banco Central. No crédito para pessoa jurídica com sede no exterior e créditos não classificados, o recuo foi de 0,6%.

O crédito para o setor de serviços ficou em R$ 795,770 bilhões em janeiro. Dentro desse setor, o comércio teve queda de 3,6% (R$ 296,334 bilhões) no mês passado. Em transporte, subiu 0,4%, para R$ 169,413 bilhões. Na administração pública, houve estabilidade, ficando em R$ 123,562 bilhões. A categoria "outros" caiu 0,1% para R$ 206,451 bilhões.

Para a indústria, o crédito recuou para R$ 821,843 bilhões. Na construção, houve baixa no mês passado, para R$ 111,454 bilhões. A indústria de transformação teve queda de 1,6%, para R$ 464,171 bilhões. Já os serviços industriais de utilidade pública (SIUP) registraram queda do crédito de 1,2% no mês passado, para R$ 200,107 bilhões. No caso da indústria extrativa, houve uma alta de 1,0% em janeiro, para R$ 46,111 bilhões.

Para o setor agropecuário, o crédito minguou em janeiro ante dezembro para R$ 24,949 bilhões.

BNDES

Os financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empresas recuaram 0,1% de dezembro para janeiro, somando um total de R$ 632,810 bilhões, conforme dados do Banco Central apresentados hoje. Em 12 meses, a expansão está em 6,4%.

Em janeiro, houve avanço de 1,9% nas linhas de capital de giro (R$ 14,311 bilhões), queda de 0,1% no financiamento ao investimento (R$ 605,450 bilhões) e baixa de 1,1% nas modalidades para o setor rural (R$ 13,049 bilhões) por parte do banco de desenvolvimento.

Para pessoas físicas, o crédito do BNDES avançou 1,8% em janeiro, para R$ 46,850 bilhões. A alta em 12 meses está em 6,00%.