27°
Máx
13°
Min

Exportações de petróleo da Líbia são retomadas em terminal, após disputa

As exportações de petróleo da Líbia serão retomadas em um terminal que foi palco de uma disputa entre os grupos que buscam controlar o setor, o que dá uma nova esperança para a produção da commodity no país. A estatal National Oil divulgou comunicado nesta sexta-feira para informar que uma carga de 660 mil barris partiu do porto de Marsa al-Hariga, controlado por grupos no leste líbio.

Os grupos rivais haviam fechado o porto 17 dias antes, em retaliação contra os esforços sucessivos da Organização das Nações Unidas e do governo de unidade reconhecido internacionalmente em Trípoli para bloquear as tentativas de exportação de seu próprio petróleo.

A Líbia tornou-se um país dividido, em um cenário caótico que começou com a queda em 2011 do ditador Muamar Kadafi. O esforço de paz comandado pela Organização das Nações Unidas resultou em um governo de união instalado em Trípoli, mas o leste do país não reconhece essa administração e tentava em vez disso desenvolver suas próprias fontes de receita e exportar o próprio petróleo.

Pela legislação do país, o petróleo da Líbia precisa ser enviado por meio da estatal National Oil, sediada em Trípoli.

O bloqueio no terminal se somou a problemas no Canadá e na Nigéria que levaram os preços para perto de US$ 50 o barril, na máxima em sete meses. As notícias também pressionaram mais a produção de petróleo da Líbia, que recuou para menos de um quarto de sua capacidade de 1,5 milhão de barris por dia.

A retomada das exportações ocorre após a National Oil e a nova companhia de petróleo do leste do país chegarem a um acordo para encerrar o bloqueio. Os dois lados assinaram um memorando de entendimento para que os grupos no leste e o conselho presidencial cheguem a um acordo para unificar o setor de petróleo. Fonte: Dow Jones Newswires.