28°
Máx
17°
Min

Febraban e Sebrae lançam aplicativo de educação financeira para microempreendedor

Cerca de 6 milhões dos microempreendedores individuais (MEIs) registrados no País terão uma nova ferramenta para organizar as finanças de seus negócios. Trata-se do aplicativo "Meu Negócio em Dia", um projeto fruto de parceria entre a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Essa entidades constataram que 56% dos MEIs não fazem uma correta separação entre suas finanças pessoais e a de suas empresas. O lançamento da app coincide com o início da 3ª edição da Semana Nacional de Educação Financeira (Enef), que acontece entre nesta segunda-feira, 16, e 22 de maio em todo o País.

De acordo com os idealizadores, o aplicativo servirá como ferramenta de educação financeira para a gestão de pequenos negócios. Por meio do software, os usuários poderão fazer análises das principais receitas e despesas da empresa, além de obter dados como correção de valores de prestação e outros serviços financeiros. O aplicativo está disponível nos sistemas iOs, Android e Windows Phone.

Segundo o diretor de Educação Financeira da Febraban, Fábio Moraes, a iniciativa surgiu no ano passado com o propósito de auxiliar os MEIs a se tornarem resilientes em suas gestões. "O aplicativo irá fornecer suporte ao microempreendedor individual, que até então não tinha uma ferramenta mobile para consultar e buscar informações de como manter a saúde de seu negócio. Ele é gratuito e contará com conteúdo fácil de compreender e prático de usar", disse Moraes.

O aplicativo para smartphones pode ser baixado no "Canal do Empreendedor - Meu Bolso em Dia" (pode ser acessado no site www.meubolsoemdia.com.br/canal-do-empreendedor), também lançado na mesma ocasião. A plataforma contará com conteúdos, infográficos e vídeos educativos sobre gestão financeira, produzidos pelo Sebrae Minas Gerais, Sebrae Nacional e pela Febraban.

Para Moraes, ações voltadas à educação financeira são essenciais para a sobrevivência dos micro e pequenos negócios. "Investir em empreendimento é investir em gestão. Logo, é preciso que seja oferecido esse tipo de suporte ao microempreendedor individual, para que o seu negócio tenha condições de se manter e crescer. Por falta de conhecimento, alguns desses negócios acabam perdendo o controle de suas finanças e correndo o risco de falir", disse o diretor.

Uma das ferramentas que poderão ser utilizadas pelos usuários, tanto no site como no aplicativo, é a Calculadora do empresário. Entre as suas funcionalidades, o empreendedor poderá comparar os custos dos principais produtos e serviços financeiros destinados à pessoa jurídica disponíveis no mercado, além de simular taxas para financiamento com dados oficiais fornecidos pelo Banco Central.

Criada em 2008, se enquadram na categoria do MEI as pessoas que trabalham por conta própria, com faturamento de até R$ 60 mil por ano e que possuem até um empregado contratado. Em levantamento, o Sebrae apontou que o Brasil encerrou o ano de 2015 com 5,6 milhões de pessoas inscritas como MEIs e calcula que esse número tenha ultrapassado a faixa de 6 milhões no primeiro trimestre.