22°
Máx
14°
Min

Feirão da casa própria da Caixa termina com R$ 10 bi em negócios

A Caixa Econômica Federal registrou R$ 10,3 bilhões em negócios no 12º Feirão da Casa Própria, que terminou neste final de semana em Salvador (BA). O desempenho é menor do que os R$ 11,05 bilhões registrados em 2015 e que os R$ 15,6 bilhões alcançados no ano anterior.

De acordo com o balanço divulgado na noite deste domingo, 19, pelo banco estatal, foram mais de 13 mil negócios realizados no evento. Passaram pelas 14 cidades onde o feirão foi realizado mais de 250 mil pessoas, número menor do que as 295,6 mil pessoas de 2015. No ano anterior, os visitantes chegaram a 434,4 mil pessoas. Mesmo assim, o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, avaliou que o resultado de 2016 foi ao encontro das expectativas do banco. "Conseguimos manter o mesmo desempenho do ano passado. Isso foi fundamental porque percebemos que, mesmo com a crise, a demanda existe. O balanço é positivo", disse, em nota.

Pela primeira vez, São Luís (MA) foi incluída no roteiro das cidades que receberam o evento do banco estatal, que ocorreu entre abril e junho deste ano. O número de cidades este ano passou para 14.

O feirão da Caixa tem foco na habitação popular, incluindo o programa Minha Casa Minha Vida e linhas que contam com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Além de restringir as condições no crédito imobiliário, em meio aos elevados saques na caderneta de poupança, principal fonte de recursos do segmento, a Caixa elevou os juros do financiamento à casa própria. O banco prevê liberar em torno de R$ 91 bilhões para o crédito imobiliário neste ano, praticamente o mesmo valor do ano passado. Segundo Occhi, a Caixa e a equipe econômica estudam outras fontes de recursos para os empréstimos. O banco conta, em 2016, com recursos adicionais liberados pelo conselho curador do FGTS em fevereiro.