24°
Máx
17°
Min

Financiamentos do BNDES para empresas caíram 3% em março ante fevereiro, diz BC

Muito atrelados à variação cambial, os financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para empresas recuaram 3,0% de fevereiro para março, somando um total de R$ 608,108 bilhões, conforme dados do Banco Central apresentados nesta quinta-feira, 28. Em 12 meses, a queda está em 0,7%.

Em março, houve recuo de 9,3% nas linhas de capital de giro (R$ 12,639 bilhões), queda de 2,9% no financiamento ao investimento (R$ 582,030 bilhões) e alta de 1,7% nas modalidades para o setor rural (R$ 13,439 bilhões) por parte do banco de desenvolvimento.

O crédito do BNDES para pessoas físicas, que reúne operações contratadas diretamente com o banco de fomento ou realizadas por outras instituições financeiras por meio de repasses, avançou 0,9% em março, para R$ 47,828 bilhões. A alta em 12 meses está em 6,1%.

Demanda

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse que a falta de demanda tem sido determinante para o recuo do crédito do BNDES. O banco de fomento concedeu 43,8% menos crédito no primeiro trimestre, se comparado com o mesmo período do ano passado.

Segundo ele, os principais fatores são o quadro econômico, que reduz a confiança, e a elevação dos custos desses financiamentos. Em dezembro de 2014, a taxa do BNDES para crédito para investimentos era de 7,1% ao ano. Em março deste ano, atingiu 12,1% a.a..

O técnico do BC ressaltou que a valorização cambial impactou no crédito dessa área. "Se retirássemos o efeito do câmbio no mês, o crédito do BNDES, ao invés de cair 3%, teria caído 1%. O impacto do câmbio foi bem significativo neste mês", avaliou.