27°
Máx
13°
Min

Fizemos uma ampla revisão de nossa política de estímulos, diz Draghi

(Foto: Divulgação)  - Fizemos uma ampla revisão de nossa política de estímulos, diz Draghi
(Foto: Divulgação)

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, comentou nesta manhã a série de medidas anunciadas pela instituição na tentativa de fortalecer a economia da zona do euro.

Segundo ele, o BCE realizou uma ampla revisão de sua política monetária, levando em consideração as novas projeções macroeconômicas até 2018 feitas pela equipe do banco central. "Esse pacote abrangente irá explorar sinergias entre diferentes instrumentos e vem sendo calibrado para afrouxar mais as condições financeiras, estimular nova provisão de crédito e, assim, reforçar a dinâmica da recuperação econômica da zona do euro e acelerar o retorno da inflação para níveis próximos de 2%", disse Draghi.

Além de baixar a taxa de refinanciamento de 0,05% para 0,00% e a de depósito de -0,30% para -0,40%, o BCE elevou o montante mensal de compra de ativos de 60 bilhões de euros para 80 bilhões de euros. O program de compra de ativos, segundo Draghi, deverá funcionar até março de 2017 ou além disso, se necessário. O programa, disse ele, irá se extender "até que o conselho executivo veja um ajuste sustentável no caminho da inflação, consistente com o objetivo de atingir taxas de inflação abaixo, mas perto, de 2% no médio prazo".

O BCE ainda decidiu incluir bônus denominados em euros com grau de investimento emitidos por empresas não-financeiras estabelecidas na zona do euro na lista de ativos que poderão participar do programa de compras.

Outra medida foi o lançamento de uma nova série de quatro operações de refinanciamento de longo prazo (TLTRO II), começando em junho de 2016, com maturidade de quatro anos. "Essas operações irão reforçar o perfil acomodatício da política monetária", observou Draghi. Não haverá a exigência de pagamento antecipado no TLTRO II e será permitida a migração do TLTRO I.

Draghi ainda ressaltou que levando em consideração a atual perspectiva para a estabilidade de preços, a expectativa é que os juros do BCE continuem no atual nível ou mais baixo por um período de tempo prolongado. "Ampliando as medidas tomadas desde junho de 2014, estamos com esse amplo pacote de política monetária provendo substancial estímulo para contrabalançar o maior risco aos objetivos de estabilidade de preços do BCE", disse Draghi, acrescentando que o BCE espera que a recuperação continue em ritmo moderado.

Em sua avaliação, o baixo preço do petróleo pode dar um impulso adicional ao consumo e disponibilidade de renda, assim como à rentabilidade das empresas e aos investimentos. Entretanto, ele ponderou que o crescimento da zona do euro poderá ser prejudicado pela desaceleração nos mercados emergentes, pela volatilidade nos mercados financeiros, pela necessidade de ajustes nos balanços de alguns setores e pelo lento ritmo de implementação das reformas estruturais.