22°
Máx
16°
Min

França necessita de medidas de austeridade extras para atingir metas, destaca UE

O governo da França terá que tomar novas medidas de austeridade em direção às eleições presidenciais de 2017 para cumprir sua promessa de reduzir o déficit orçamental dentro das regras europeias, segundo as previsões divulgadas pela União Europeia (UE) nesta terça-feira.

A Comissão Europeia disse que espera que o déficit orçamentário da França caia para apenas 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017, de 3,4% este ano, se o governo não tomar medidas adicionais para reduzir os gastos ou aumentar a receita.

As previsões tendem a aumentar a pressão sobre o presidente socialista François Hollande um ano antes das eleições presidenciais. Uma elevada taxa de desemprego, o crescimento econômico lento e um agravamento dos gastos do governo têm contribuído para tornar Hollande um dos mais impopulares presidentes franceses já registrado.

Recentemente, ele afirmou que a situação está ficando melhor na França, mas disse que o governo ainda tem que cumprir mais promessas para obter o déficit abaixo do limite máximo de 3%, conforme prescrito pela União Europeia.

As autoridades francesas dizem que as previsões da Comissão Europeia deixam de levar em conta as medidas que serão tomadas no orçamento de 2017 para reduzir os gastos. As previsões também não levam em consideração um crescimento econômico melhor esperado no primeiro trimestre, o que colocou as finanças economia e do governo em uma base mais firme, apontam as autoridades de Paris. O governo francês prevê um crescimento econômico de 1,5% este ano, enquanto a Comissão Europeia prevê apenas 1,3%.

As autoridades francesas dizem que as discrepâncias no cálculo das metas significa que o governo está furando suas metas para reduzir o déficit orçamentário para 3,3% do PIB este ano e 2,7% em 2017. Fonte: Dow Jones Newswires.