22°
Máx
16°
Min

Governo tem a receber R$ 768 milhões por produção no pré-sal

(Foto: Ilustração) - Governo tem a receber R$ 768 milhões por produção no pré-sal
(Foto: Ilustração)

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O secretário adjunto de petróleo e gás do Ministério de Minas e Energia, João José de Nora Souto, disse nesta quinta (1º) que o governo tem R$ 768 milhões a receber pela produção de petróleo em reservas que estão em áreas da União.

Os recursos referem-se a produção realizada desde 2015 e já poderiam estar sendo arrecadados, caso a política de venda do petróleo pela estatal PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) já estivesse regulamentada.

A PPSA é responsável por fiscalizar contratos de partilha da produção do pré-sal e por vender a parcela do petróleo que é entregue à União pelas petroleiras contratadas.

A empresa começou a funcionar em 2013, mas até hoje não foram definidas as regras para sua atuação na venda do petróleo -como, por exemplo, se contratará uma trading internacional ou a Petrobras para realizar as transações.

De acordo com Souto, a questão finalmente será definida na próxima reunião do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), neste mês.

Ele não quis, porém, dar detalhes sobre as novas regras.

O secretário informou que os recursos começam a ser arrecadados em 2017, à medida em que o petróleo da União seja vendido.

O óleo é produzido em campos como Lula e Sapinhoá, operado pela Petrobras na Bacia de Santos, cujos reservatórios se estendem para além das áreas de concessão.

A União terá direito a volumes equivalentes a esses pedaços, desmontados os custos para retirar o petróleo.

Em 2017, a receita será engordada com a entrada em operação da primeira plataforma de Libra, a maior descoberta brasileira, também em Santos.