20°
Máx
14°
Min

Governos falham nas ações de combate ao contrabando, diz presidente do FCNP

O presidente do Fórum Nacional Contra a Pirataria e Ilegalidade (FCNP), Edson Vismona, destacou nesta sexta-feira, 1, que a gestão petista à frente da Presidência da República "falou muito em ações de combate ao contrabando", porém essas ações ocorreram em um número pequeno.

"Falou-se muito, mas sentimos falta de ações, por exemplo, dos policiais em fronteiras, do pagamento das diárias e liberação de recursos de gratificação dos profissionais na fronteira", afirmou. "Sempre recebemos como resposta 'vamos estar fazendo'. Esse é um problema sério. E não só do governo federal, vem de outros Poderes também. Há diferença enorme entre discurso e a prática", complementou.

Vismona participa nesta sexta do debate no "Fóruns Estadão - Combate ao Contrabando", evento organizado pelo Grupo Estado em parceria com o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e com o FNCP.

Sobre a administração municipal, Vismona informou que a atual gestão, do prefeito Fernando Haddad (PT), abandonou completamente todo o trabalho de ação de combate ao contrabando. "Até 2012, a cidade de São Paulo era exemplo de cooperação. Haddad abandonou todo esse trabalho e inclusive o FCNP entrou com ação judicial contra a gestão com relação à omissão da administração municipal ao assunto", disse.

"Hoje já temos a declaração do ministro das Relações Exteriores (MRE), José Serra, de que combate ao contrabando é prioridade e certa articulação de ministérios. Isso é bem relevante, mas temos que observar", destacou, dizendo também que as empresas podem colaborar, mostrando as informações de mercado aos agentes combatentes.

Selos

O ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel avaliou que os selos contidos nas embalagens de cigarro e bebidas deveriam ser reavaliados. "Hoje eles são usados para controle de fabricação, mas há de se repensar nisso. É uma coisa ultrapassada e tem de se mudar isso completamente", declarou.