24°
Máx
17°
Min

Grandes bancos ampliam crédito para antecipação do IR

- Grandes bancos ampliam crédito para antecipação do IR

Os grandes bancos elevaram a concessão de recursos por meio da linha de crédito que antecipa a restituição do Imposto de Renda (IR) para atender a uma demanda que cresce em meio à crise política e econômica no País, devido ao aumento do desemprego, que já atinge 11,4 milhões de pessoas, e da inadimplência das famílias. Não por acaso, dizem executivos, a procura é sustentada principalmente por pessoas que querem aproveitar os recursos para substituir ou amortizar dívidas mais caras, como o cheque especial, por exemplo.

Em apenas quatro meses, o Banco do Brasil liberou mais de R$ 450 milhões em antecipação de IR, montante quase 5% maior do que o visto em igual intervalo de 2015. Para todo o ano, a expectativa é de entregar crescimento de mais de 6%, para R$ 520 milhões. As taxas começam em 2,25% ao mês. "Em média, 65% dos recursos são usados para liquidar ou amortizar compromissos financeiros com juros maiores", diz Edmar Casalatina, diretor de empréstimos e financiamentos do BB.

Já o Itaú Unibanco registrou incremento de 81% no montante de empréstimo liberado de janeiro a maio. Segundo o banco, o aumento na procura pela linha que antecipa o IR reflete o cenário mais desafiador, mas também a facilidade na contratação e condições favoráveis. Em quantidade de contratos, o Itaú registrou aumento de 59%, se comparado com o mesmo período do ano passado. O banco não revela a taxa mínima cobrada. "A procura deve se manter no mesmo patamar, já que a tomada por esse tipo de crédito é reflexo da economia", explica Flavio Iglesias, diretor do Itaú Unibanco.

O Bradesco também registrou expansão em termos de volume e quantidade de contratos, de acordo com Marina Carvalho, superintendente executiva de empréstimos e financiamentos do banco. Ambos cresceram, conforme a executiva, em torno dos 30%. Do ponto de vista do custo do financiamento, as taxas, segundo ela, foram mantidas e começam a partir de 2,31% ao mês, apesar dos três aumentos na Selic desde março do ano passado.

"A demanda está maior como reflexo da ação que fizemos junto aos clientes que indicaram o Bradesco para receber sua restituição do imposto de renda no ano passado e ainda a maior compressão de renda e o aumento do desemprego no cenário atual", explica Marina, acrescentando que o patamar de crescimento deve ser mantido até o fim do ano, visto que os principais meses de contratação são maio, junho e julho.

As taxas de juros da linha que antecipa o IR variam conforme o relacionamento do cliente com o banco. Em geral, as instituições antecipam até 100% da restituição do imposto. Alguns bancos limitam o valor máximo do crédito, geralmente, em R$ 20 mil. O mínimo varia entre R$ 100,00 e R$ 200,00. O pagamento é descontado no dia que o contribuinte recebe os recursos que têm direito junto à Receita Federal.

Na última sexta-feira (08), a Receita Federal disponibilizou o segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2016. Estão contemplados 1.490.266 contribuintes, num total de mais de R$ 2,5 bilhões. Também estão contempladas restituições dos exercícios de 2008 a 2015. O crédito bancário para 1.566.533 contribuintes será feito no dia 15 de julho, totalizando R$ 2,7 bilhões.