22°
Máx
16°
Min

Há concentração de pagamento de subsídios em julho, diz Tesouro

A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, afirmou nesta terça-feira, 30, que o órgão apresentou um resultado resumido do Governo Central de julho devido às "contingências" decorrentes do movimento de greve dos servidores do Tesouro.

Sobre o déficit fiscal de R$ 18,551 bilhões de julho, a secretária afirmou que o resultado está próximo e em linha com as expectativas dos analistas. Ela detalhou que houve um pagamento de R$ 9,8 bilhões de subsídios e subvenções, como o Proagro. A concentração de pagamentos no mês passado se deve a acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU) para que esse acerto de contas ocorra em janeiro e julho de cada ano.

"Além disso temos um crescimento acentuado do déficit da Previdência, que contrasta com o superávit do Tesouro Nacional", argumentou Ana Paula. "A Previdência hoje é o maior fator de deterioração fiscal", completou. No mês passado, o resultado do INSS foi negativo em R$ 11,818 bilhões e chegou a um déficit de R$ 72,260 bilhões no acumulado do ano.

Pelo lado das receitas, a secretária apontou que em julho houve o pagamento da última parcela das concessões de 29 usinas hidrelétricas leiloadas no ano passado, com a entrada de R$ 1,1 bilhão no caixa do Tesouro.

Sobre a contínua queda das receitas, Ana Paula alegou que o fenômeno vem de anos anteriores e lembrou que o governo continua o esforço de corte de despesas. "A despesa discricionária continua em queda desde 2014 e agora em julho chegou ao mesmo patamar de 2012", destacou.