21°
Máx
17°
Min

Ibovespa fecha em alta de 0,22%, puxado por Petrobras e bancos

A Bovespa minimizou as quedas das bolsas americanas e encerrou o pregão desta quinta-feira, 7, com uma discreta alta, de 0,22%, aos 52.014,65 pontos. O avanço foi sustentado em grande parte pelas ações da Petrobras, principal destaque do dia. Graças ao noticiário favorável à companhia, os papéis da estatal terminaram em alta, apesar das fortes perdas dos preços do petróleo nas bolsas internacionais.

Um dos fatores a incentivar ordens de compra das ações da petroleira foi um relatório do banco Morgan Stanley, que elevou a recomendação para as ações. Segundo o banco, o setor de petróleo e gás na América Latina se prepara para uma recuperação, diante da melhora nos preços do petróleo e também nos balanços corporativos. Outra notícia de repercussão positiva foi a aprovação, em comissão especial da Câmara, do relatório do projeto de lei que retira a obrigação legal de a Petrobras liderar todos os investimentos no pré-sal.

Pela manhã, com o petróleo ainda em alta, as ações ordinárias da Petrobras chegaram a subir até 7,96%, sustentadas por ordens de compra de investidores estrangeiros. Com a virada da commodity para o terreno negativo, as ONs perderam parte do fôlego e acabaram por fechar com ganho de 2,40%. Petrobras PN, bem mais líquida, chegou a subir 5,05% e fechou com alta de 0,63%.

As ações do setor financeiro operaram em alta durante todo o dia e também contribuíram para sustentar o Índice Bovespa. Segundo operadores, os papéis recuperaram perdas recentes, apoiados na alta moderada de bancos europeus e americanos. Nesse grupo, as maiores altas ficaram com as units do Santander (+1,50%) e as preferenciais de Itaú Unibanco (+1,01). Banco do Brasil destoou das demais e caiu 1,24%.

Mesmo com a queda de 1,1% do minério de ferro no mercado à vista chinês, as ações da Vale chegaram a subir pela manhã, quando os mercados mostravam bom humor. Mas os papéis sucumbiram à deterioração do mercado americano e Vale teve quedas de 1,66% (ON) e de 3,11% (PNA). As ações de companhias de siderurgia e metalurgia, destaque de alta no pregão de ontem, hoje passaram por correção e caíram. CSN ON caiu 5,74% e liderou as perdas do Ibovespa.