24°
Máx
17°
Min

Ibovespa sobe em sintonia com exterior, após decisão sobre juros nos EUA

Considerando o início do pregão, a Bovespa indicava um fechamento em baixa nesta quarta-feira, 16, em função da oficialização de Lula para a Casa Civil de Dilma Rousseff. Mas no meio da jornada, com a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), a tendência mudou. Ao manter os juros inalterados, o Fed sinalizou em seu comunicado que tende a anunciar dois aumentos - e não mais quatro, como era previsto - neste ano. Os índices em Nova York reagiram em alta e, no Brasil, a Bovespa também avançou.

O Ibovespa - índice de referência da bolsa brasileira - encerrou o pregão em alta de 1,34%, aos 47.763,43 pontos. Na mínima, vista mais cedo, ficou abaixo dos 46 mil pontos, em queda de 1,29%, aos 46.521 pontos. Na máxima, após o Fed, bateu os 47.814 pontos, em alta de 1,45%. O giro financeiro foi de R$ 8,098 bilhões.

O início do dia foi marcado por perdas para a Bovespa, com investidores em busca de proteção antes mesmo que Lula fosse confirmado na Casa Civil. A pressão só diminuiu à tarde, com a decisão do Fed.

Os papéis da Vale tiveram fortes ganhos e fecharam em alta de 9,94% a ON e 8,88% a PNA, enquanto Petrobras ON avançou 7,74% e o papel PN da estatal subiu 9,38%, com um cenário mais positivo no exterior, após o Fed, e avanços firmes das commodities (minério de ferro e petróleo).