22°
Máx
16°
Min

Ibovespa tem 7ª alta consecutiva com otimismo interno e externo

A Bovespa subiu mais 1,62% nesta quinta-feira, 14, e registrou sua sétima alta consecutiva, atingindo 55.480,86 pontos, maior patamar desde 19 de maio de 2015. A atratividade das ações de empresas brasileiras foi garantida pela vitória de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na eleição à presidência da Câmara dos Deputados e a continuidade do bom humor nos mercados internacionais, que levaram as bolsas americanas a bater novos recordes históricos.

A eleição de Rodrigo Maia, mesmo não sendo a primeira opção de Michel Temer, foi recebida com otimismo, uma vez que o deputado pertence a uma legenda da base do governo e, portanto, é um aliado do presidente em exercício. Com isso, a expectativa é de que o governo terá maior facilidade em ver aprovadas as medidas fiscais que deve enviar à Casa. A definição do sucessor de Eduardo Cunha contribuiu para impulsionar ações importantes na bolsa e fortalecer o real.

O grande catalisador da alta do Ibovespa foi o grupo de ações do setor financeiro, todo com ganhos bem superiores ao do índice. As altas no setor foram incrementadas por um relatório do banco Credit Suisse elevando a recomendação para ações de Bradesco, Itaú Unibanco e Itaúsa, levando em conta a melhora de perspectiva no cenário político-econômico. Ao final do pregão, Itaú Unibanco PN teve alta de 4,12%, Bradesco PN avançou 4,12% e Itaúsa ON subiu 3,58%. Apesar de não ter tido a recomendação elevada pelo banco suíço, Banco do Brasil ON correu por fora e fechou com alta de 5,32%, pegando carona com o cenário político favorável.

A alta do Ibovespa teria sido maior não fosse a queda das ações da Vale, contrariando o desempenho positivo de suas pares no exterior. Os papéis terminaram o dia em baixa de 2,64% (ON) e de 2,47% (PNA). Além da queda de 1,2% do minério de ferro no mercado à vista chinês e da piora na perspectiva para os preços da commodity, as ações reagiram negativamente ao noticiário envolvendo a Samarco, empresa da qual é sócia. Ontem o Ministério Público Federal abriu procedimento investigatório criminal contra o atual presidente da Samarco, Roberto Lúcio Nunes de Carvalho, para apurar o não cumprimento de forma integral de ações emergenciais determinadas pelo Ibama por causa do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, em novembro de 2015.

O volume de negócios totalizou R$ 8,85 bilhões, bem acima da média diária de julho, de R$ 6,22 bilhões. Em sete dias de alta, o Ibovespa contabiliza ganho de 7,02%. No acumulado de julho, o índice tem valorização de 7,68%. No ano, a alta é de 27,99% em reais e de 55,50% em dólares.