21°
Máx
17°
Min

Indicador Antecedente Composto sobe 1,2% em abril, dizem FGV e Conference Board

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil subiu 1,2% em abril, para 92,0 pontos, divulgaram nesta terça-feira, 17, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e o Conference Board. Esta é a terceira alta consecutiva do indicador, depois de avanços de 1,1% em março e 0,2% em fevereiro.

Segundo as instituições, seis dos oito componentes analisados contribuíram positivamente para o índice de abril: a taxa de SWAP de 360 dias, os índices de expectativas das Sondagens da Indústria e de Serviços, o Ibovespa, o índice de Produção Industrial de Duráveis e o Quantum de exportações.

Já o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE), que mede as condições econômicas atuais, teve ligeira alta em abril, para 98,0 pontos (0,1%). O resultado sucede baixas de 0,1% em março e de 0,6% em fevereiro. De acordo com o Ibre e o Conference Board, quatro dos seis componentes contribuíram positivamente para o indicador em abril.

"A transição do ambiente político para um cenário de redução das incertezas de curto prazo cria condições potenciais para uma melhora mais consistente dos dois indicadores, que se confirmada, apontará uma reversão do ciclo econômico dentro de um horizonte visível, o que não parecia provável até agora", avaliou o economista do Ibre/FGV, Paulo Picchetti.