28°
Máx
17°
Min

Indicador Antecedente Composto sobe 2,5% em maio, dizem FGV e Conference Board

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil subiu 2,5% em maio, para 93,9 pontos, divulgaram nesta sexta-feira, 17, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e o Conference Board. Esta é a quarta alta consecutiva do indicador, que no mês anterior havia apresentado elevação de 0,9%. O dado de abril, por sua vez, havia sido praticamente uma repetição da alta de 1,0% registrada em março.

Segundo as instituições, seis dos oito componentes analisados contribuíram positivamente para o índice de maio: a série de swap 360 invertida, os Índices de Expectativas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, o Índice de Termos de Troca e o Índice de Produção Industrial de Bens de Consumo Duráveis.

ICCE

Já o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE), que mede as condições econômicas atuais, apresentou estabilidade em maio, ao ficar em 97,9 pontos. O indicar também havia ficado estável em abril, após recuo de 0,1% em março.

Para o economista Paulo Picchetti, do Ibre/FGV, a estabilidade do ICCE e a quarta elevação do IACE sugerem um estancamento da tendência de queda no nível de atividade. O cenário político, contudo, ainda merece atenção. "As condições políticas continuam fundamentais para avaliar se a tendência recente do IACE efetivamente sinaliza uma reversão do ciclo econômico no médio prazo", ponderou Picchetti.