22°
Máx
14°
Min

Índice Antecedente de Vendas do IDV cai 8,7% em agosto

Em agosto, o Índice Antecedente de Vendas do Instituto para Desenvolvimento do Varejo, IAV-IDV, teve queda real de 8,7% sobre o mesmo mês de 2015. Para os próximos meses, a expectativa dos associados ao IDV é de queda ainda, porém em menor grau. A previsão para setembro é de recuo de 3,6% em setembro, depois 3,3% em outubro e 0,7% em novembro.

A maior queda em agosto foi no segmento de bens duráveis, de 10,24% sobre o mesmo período em 2015. Para setembro, a retração deve desacelerar, segundo os varejistas, para 3,45%, e então -2,5% em outubro e -1,84% em novembro. A inflação acumulada desse setor até agosto foi de 2,81%, conforme o IBGE. O IAV-IDV antecipa entre 30 a 40 dias os resultados da PMC (Pesquisa Mensal do Comércio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE).

Em semiduráveis (vestuário, calçados, livrarias e artigos esportivos) a queda foi de 6,02% na comparação dom agosto de 2015. Ainda de acordo com o instituto, a previsão é de retração de 1,15% em setembro, 1,23% em outubro e 0,15% em novembro sobre os mesmos meses do ano anterior, respectivamente. No acumulado do ano desse segmento a inflação é de 5,49% até agosto.

Já em bens não duráveis (super e hipermercados, food-service, drogarias e perfumaria), a queda real em agosto foi de 8,90% ante o mesmo mês de 2015. Para os próximos meses, as projeções são de queda de 4,40% em setembro, 5,51% em outubro e estabilidade (0,01%) em novembro.

"Nesse quesito, é importante levar em consideração que o setor de alimentação dentro do lar sente muito a pressão do aumento da inflação comum, e aumento médio de preços em agosto de 2016 foi de 16,79% no acumulado dos últimos 12 meses. Já o segmento como um todo, fechou no mesmo período inflação de 15,32%. O resultado nominal total de agosto de 2016, comparado com mesmo mês do ano passado, fechou em 1,97%", explica o IDV, em nota.