21°
Máx
17°
Min

Índice Bovespa cai 1,68% com risco político e cenário externo

A combinação entre incertezas com o cenário político e o mau humor do mercado internacional levou a Bovespa a fechar em queda de 1,68% nesta quinta-feira, 5, aos 51.671,04 pontos. Pela manhã, o Índice Bovespa chegou a subir 0,99%, mas perdeu fôlego e, no pior momento, chegou a cair 2,36%.

Os mercados iniciaram o dia com a notícia de que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki tinha afastado o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do mandato de deputado federal e, consequentemente, do comando da Casa. Em um primeiro momento, o fato foi considerado positivo para o vice-presidente Michel Temer. Isso porque, como a imagem de Cunha está desgastada, seu afastamento daria mais credibilidade à chegada de Temer ao poder.

Mas a Bovespa passou a perder fôlego após o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, confirmar a intenção de, baseado na decisão de Teori, pedir a anulação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff - conduzido por Cunha. Ao mesmo tempo, as bolsas de Nova York também mostraram enfraquecimento, o que levou a bolsa brasileira a ingressar definitivamente no terreno negativo no final da manhã.

Segundo profissionais do mercado de renda variável, as ações que melhor demonstraram o risco político foram justamente as que exibiram melhora com os avanços do impeachment, como as da Petrobras. Os papéis da estatal terminaram o dia em baixa de 2,47% (ON) e de 1,11% (PN), mesmo com o petróleo em alta. Na Nymex, o petróleo subiu 1,23%, enquanto na ICE houve avanço de 0,87%.

As ações do setor bancário também sentiram a influência do cenário político e voltaram a cair, após uma breve recuperação na véspera. Itaú Unibanco PN teve queda de 1,49% e Bradesco PN recuou 2,51%. No pior momento, à tarde, o Ibovespa chegou à mínima de 51.311 pontos, com queda de 2,36%. Na véspera, havia subido 0,56%. O volume financeiro totalizou R$ 5,79 bilhões, considerado baixo, o que reforça a tese da cautela do investidor. Mesmo com a queda de hoje, o índice ainda guarda valorização acumulada de 19,20% em 2016.