22°
Máx
17°
Min

Índice de produção cai para 42,4 pontos em abril, ante 47,2 em março, diz CNI

A produção da indústria continuou em queda em abril. A pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira, 19, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que o índice de evolução da produção apresentou queda para 42,4 pontos em abril, ante 47,2 pontos em março. Pela metodologia da pesquisa, os indicadores variam de zero a 100, sendo que valores abaixo de 50 indicam recuo na produção.

Segundo a CNI, com a retração da atividade, a indústria manteve os estoques ajustados pelo quinto mês consecutivo. O indicador de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 49,1 pontos, ante 49,3 pontos, próximo da linha de 50 pontos, o que indica estoques ajustados, segundo a entidade.

Com relação à utilização da capacidade instalada (UCI), a pesquisa mostra que a ociosidade no parque industrial se manteve elevada. A UCI ficou em 64%, mesmo porcentual registrado em março, mantendo-se bem abaixo do usual. O indicador que mede a UCI efetiva em relação à usual ficou em 34,7 pontos em abril.

Esse fraco desempenho da indústria tem reflexos no emprego do setor. O indicador de evolução do número de empregados ficou em 43,3 pontos em abril, ante 43,1 pontos em março, abaixo dos 50 pontos, o que sinaliza retração no mercado de trabalho.

Expectativas

Os empresários industriais continuam pessimistas em maio com relação aos próximos seis meses. A expectativa é de queda da demanda, das compras de matéria-prima e do emprego, com todos os indicadores abaixo de 50 pontos. O índice de expectativas sobre a demanda foi de 47,8 pontos em maio; as compras de matérias-primas registrou 45,7 pontos e o número de empregados ficou em 43,6 pontos.

Com relação às exportações, as perspectivas são de estabilidade, depois de quatro meses consecutivos de otimismo. O índice que mede a expectativa sobre a quantidade exportada ficou em 50,7 pontos ante 52,1 pontos registrados em abril.

As expectativas sobre intenção de investimento continuam em baixa, refletindo o cenário de fraca atividade. O índice ficou em 39,4 pontos, segundo a pesquisa.

A Sondagem Industrial foi feita entre 2 e 12 de maio com 2.530 empresas.