26°
Máx
19°
Min

Inflação de serviços em São Paulo desacelera para 1,02% em fevereiro

A inflação de serviços na capital paulista terminou fevereiro em 1,02%, após 1,45% em janeiro, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O resultado ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, de 0,89% (ante 1,37%). No acumulado de 12 meses até fevereiro, o Índice Geral de Serviços (IGS) teve variação de 11,44%, contra 11,88% até janeiro. O IPC tem variação acumulada até fevereiro de 10,43%.

A principal influência de desaceleração veio do grupo Educação, que pressionou fortemente o IGS de janeiro, com alta de mais 8,62%%, na comparação com 0,33% em fevereiro. Porém, o grupo de maior participação, Habitação, acelerou para 0,87% no mês passado, ante 0,48% em janeiro. O motivo, segundo a Fipe, foi a pressão de alta em água e esgoto, de 2,98%, depois de queda de 0,15% no primeiro mês do ano. Já o item energia diminuiu a inflação de 1,24% para 0,53%, refletindo a redução no preço da tarifa da bandeira vermelha recentemente.

O coordenador do IGS e IPC-Fipe, André Chagas, destacou ainda o grupo Alimentação no IGS (de 1,04%), devido especialmente à elevação nos gastos com alimentação fora do domicílio (1,04%). Em janeiro, as taxas foram de 0,84%. Já o grupo Transportes diminuiu o ritmo de alta para 1,84% em fevereiro, após 4,43% em janeiro, devido à descompressão dos efeitos dos reajustes nas tarifas de transporte urbano no começo do ano.