22°
Máx
17°
Min

Investidores mostram cautela na China, com temor de que yuan se desvalorize mais

As bolsas asiáticas fecharam perto da estabilidade nesta segunda-feira, mas investidores mostraram-se cautelosos, após o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) orientar o yuan para o menor nível desde fevereiro de 2011, por meio de uma taxa de referência diária que baliza os negócios no câmbio. Alguns temem que a moeda chinesa se desvalorize mais fortemente mais adiante.

A Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,1% e o índice Shenzhen Composto, de menor abrangência, caiu 0,5%. O cenário no mercado chinês de hoje mostrou investidores de lado, com volumes menores sendo negociados - o dia, de qualquer modo, foi atípico, já que há feriado com mercados fechados no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Na avaliação do operador Stephen Innes, da OANDA, companhia canadense de serviços financeiros com foco em câmbio, a orientação do PBoC hoje pode ter sido uma reação ao discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen. Na sexta-feira, a presidente do banco central norte-americano indicou que uma alta nos juros pode estar próxima nos EUA, caso os sinais da economia do país continuem positivos. Innes avaliou que o PBoC pode ter sido obrigado a se ajustar, diante da possibilidade de um aperto monetário em breve nos EUA. "Eu não acho que o banco central da China está tentando levar o yuan para baixo", disse Innes. Alguns investidores, porém, mostraram-se mais cautelosos ante a possibilidade de uma maior desvalorização cambial.

O PBoC estabeleceu a chamada taxa de paridade de hoje em 6,5784 yuans por dólar, o que colocou a taxa 0,45% abaixo da de 6,5490 yuans por dólar de sexta-feira. No fechamento da sessão em Xangai, o dólar estava em 6,5825 yuans, acima dos 6,5597 yuans do fechamento anterior. Fontes: Dow Jones Newswires e Associated Press.