28°
Máx
17°
Min

Investimentos em 2016 devem cair 35% para R$ 1,5 bi, projeta Gerdau

Os investimentos da Gerdau para 2016 deverão cair 35% em relação ao ano passado, para R$ 1,5 bilhão. A siderúrgica gaúcha frisa que o capex, dessa forma, irá priorizar a manutenção das plantas industriais existentes. A Gerdau lembra ainda que seus principais investimentos em andamento estão sendo finalizados.

Já no primeiro trimestre do ano, os investimentos somaram R$ 485,3 milhões, o que representou uma queda de 20,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A siderúrgica gaúcha destaca que o novo laminador de chapas grossas, com capacidade anual de 1,1 milhão de toneladas, encontra-se em fase de testes operacionais na usina Ouro Branco (MG) e sua entrada em operação está prevista para julho de 2016.

Já na Argentina, a construção da nova aciaria está em estágio avançado, conforme a Gerdau, sendo que 85% da obra foi concluída e todos os equipamentos já foram entregues pelos fornecedores. A empresa lembra que a capacidade instalada da nova planta é de 650 mil toneladas. O início da operação ocorrerá no fim deste ano e irá contribuir, segundo a siderúrgica, "para a substituição de parte das importações de aço no país".

Instabilidade política e retração econômica

A instabilidade política no Brasil e a retração da economia do País continuam impactando os setores consumidores de aço, afirmou em teleconferência com a imprensa o diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter.

O executivo lembrou que o consumo de aço aparente no País deverá cair 9% em 2016, depois de cair 17% em 2015, de acordo com o Instituto Aço Brasil.

Na operação Brasil, as vendas de aço totais da Gerdau caíram 8,7% na relação anual, para 1,422 milhão de toneladas. No entanto, se considerada apenas a venda para o mercado interno no primeiro trimestre do ano, os volumes recuaram 28,4%, para 896 mil toneladas. Ante o quarto trimestre do ano passado, no entanto, houve um aumento de 9,9%.

Venda de ativos

A Gerdau continua reavaliando seu portfólio de ativos, com um olhar na rentabilidade de cada negócio. Assim, um anúncio de venda de ativos, joint venture ou parceria poderá ser feito ainda em 2016, disse o vice-presidente Executivo de Finanças da siderúrgica gaúcha, Harley Lorentz Scardoelli.

"Estamos fazendo uma reavaliação desde antes do ano passado. Estamos estudando várias oportunidades, de joint venture, venda, ou de alguma outra alternativa e agora não temos nada a anunciar", disse, em teleconferência com a imprensa. O executivo disse que a companhia está trabalhando firme nessa reavaliação e que já há tratativas, mas nada a ser anunciado neste momento.

André Gerdau Johannpeter disse que a Gerdau está com foco em manter seu endividamento sob controle, bem como na geração de caixa livre, redução de custos e queda de sua alavancagem.

Minério de ferro

Da produção de minério de ferro da Gerdau, 1,3 milhão de toneladas foi utilizada para consumo próprio ao longo do primeiro trimestre deste ano, disse o presidente da siderúrgica gaúcha. Segundo o executivo, um volume de 646 mil toneladas do insumo foi de vendas para terceiros.

A Gerdau deixou de detalhar sua operação de minério de ferro no ano passado. A operação de minério de ferro, assim, passou a integrar a "Operação de Negócio Brasil".