23°
Máx
12°
Min

JR Mendonça de Barros: BC está sendo excessivamente duro com meta de inflação

Para o ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e atual sócio da MB Associados, José Roberto Mendonça de Barros, o Banco Central (BC) está sendo excessivamente duro em querer pôr a inflação na meta em 4,5% no final do ano que vem.

"Está sendo excessivamente duro sem necessidade, porque, se com esse governo novo, com essa equipe econômica nova e com essa determinação de fazer o ajuste fiscal, o BC ainda tem dúvida de que a política fiscal vai ser colocada na direção certa, faria todo sentido, do meu ponto de vista, ainda que fosse só 0,25 ponto porcentual, ter começado a baixar os juros nesta última reunião (do Copom)", disse José Mendonça de Barros.

"Eu preferia o Ilan (Goldfajn) do Banco Itaú, que dizia que isso podia ser feito, ao presidente do Banco Central que de repente deu uma endurecida desnecessária", criticou o ex-secretário, que participou nesta segunda-feira, 19, do seminário "Perspectivas para a Economia Brasileira nos Próximos Anos", promovido hoje na capital paulista pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Ele reconhece que não dá para baixar muito, mas seria um sinal.

"Já que não fez, decidiu não fazer, quer esperar a taxa e inflação começar a cair mais, o BC vai ser testado se em outubro ou em novembro vai começar decisivamente baixar o juro e aí sim ajudar a política fiscal", disse, acrescentando que espera que o BC reduza a Selic porque não faz nenhum sentido não reduzir.