22°
Máx
16°
Min

Londrinenses organizam associação de food trucks

(foto: Pixabay) - Londrinenses organizam associação de food trucks
(foto: Pixabay)

Organizar e fortalecer o setor de food trucks em Londrina é o objetivo da recém-criada Associação Londrinense de Food Trucks e Similares. Presidida pelo empresário Carlos Henrique Araújo, a entidade já representa pelo menos 60% das empresas envolvidas nesta atividade no município. “Nossa intenção é ocupar os espaços públicos e privados oferecendo comida de qualidade a preço justo. Para isso, é preciso organizar e capacitar o setor”, afirma.

No final do ano passado, o prefeito Alexandre Kireef sancionou a lei nº 156/2014, de autoria dos vereadores José Roque Neto e Gustavo Richa, que rege a atividade dos foods trucks na cidade. Com a sanção da lei, a regulamentação será feita por meio de decretos que vão definir locais e horários de funcionamento dos comércios, metragem, tipos de carros e taxas para o exercício da atividade, entre outros detalhes.

A associação surge com a missão de organizar o setor para participar dos debates sobre a regulamentação da lei de forma representativa e democrática. “Queremos nos posicionar em relação à regulamentação trazendo realidade ao processo”, argumenta Araújo, lembrando que a falta de envolvimento dos empresários na discussão sobre a lei em cidades como Curitiba, por exemplo, resultou em um documento que não atende as expectativas dos proprietários de food trucks e acabou não se concretizando. “Torcemos para que a regulamentação seja favorável e que o processo para concessão dos vinte pontos previstos siga um critério democrático. Como associação, queremos participar da elaboração das regras”, destaca.

Atualmente, os food trucks da cidade operam apenas em espaços privados. Com a sanção e a regulamentação da lei, haverá a expedição de Alvará de Licença para a atividade de comércio na modalidade food trucks e autorização para que o comerciante que possui este alvará possa estacionar nas áreas públicas a serem definidas pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Aos associados, a entidade vai disponibilizar os serviços de um advogado para dar assistência ao início da atividade. Araújo informa que o setor está em franca expansão, com fila de espera nas empresas fabricantes de food trucks. “Mais do que nunca, em plena crise econômica, é preciso estar organizado para que os empreendimentos sejam sustentáveis e sobrevivam”, reforça.

Outras metas da Associação Londrinense de Food Trucks e Similares são propor à Prefeitura a revitalização de espaços públicos, a regulamentação da atividade de food bikes e a implantação de roteiros dos food trucks. “A ideia é que os trucks possam circular entre os pontos selecionados pela Prefeitura com bastante mobilidade”, planeja ele, lembrando que a construção de um site e um aplicativo para dispositivos móveis são ações previstas para manter os londrinenses informados sobre a localização dos carros.

Serviço

Proprietários interessados em se  associar podem entrar em contato pelo telefone/whatsapp (43) 9914-1954 ou pelo  e-mail foodtrucklondrina@uol.com.br.

(com informações da assessoria de imprensa TodaRede)