22°
Máx
16°
Min

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta com sinais de BCs de apoio à economia

A maioria das bolsas europeias fechou em alta nesta sexta-feira, 18, com exceção de Londres, que perdeu fôlego no fim da sessão e caiu. O avanço do petróleo durante boa parte do dia beneficiou os mercados, porém a commodity passou a recuar no fim do pregão, o que tirou impulso de alguns papéis ligados ao setor de energia. Por outro lado, sinais recentes "dovish" - inclinados ao juro baixo - de bancos centrais apoiaram as bolsas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,34% (1,17 ponto), para 341,85 pontos. Na semana, porém, o Stoxx 600 caiu 0,11%. Mesmo com o leve recuo semanal, as ações foram beneficiadas desde o meio da semana, após o Federal Reserve, o banco central norte-americano, sinalizar que agirá com mais vagar no aperto monetário nos EUA. Nesta sexta, o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Peter Praet, disse que uma redução maior nas taxas de juros da instituição é uma possibilidade, caso a situação econômica piore na zona do euro.

"Nós estamos em uma recuperação, mas o ritmo da recuperação ainda é muito modesto e permanece frágil", afirmou Patrice Gautry, economista-chefe do banco suíço Union Bancaire Privée.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,59%, para 9,950,80 pontos. Na semana, o DAX avançou 0,81%. Nesta sexta, a companhia Lanxess, do setor químico, avançou 3,2%, após divulgar balanço relativo ao quarto trimestre de 2015 e também sua perspectiva para este ano. RWE subiu 2,9%, em grande medida diante do fato de que o papel estava barato, segundo operadores. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha caiu mais que o esperado em fevereiro: houve recuo de 0,5% no mês e de 3% no ano, ante previsão de 0,2% na leitura mensal e de 2,7% na anual.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 0,44%, em 4.462,51 pontos, porém recuou 0,67% na semana. Alstom se destacou nesta sexta, em alta de 3,9%, e Safran ganhou 3,6%. Entre as companhias de fora do CAC-40, Electricité de France avançou 10,6%, após declarações de ministros segundo as quais o governo francês estaria disposto a injetar dinheiro na companhia. LafargeHolcim subiu 3,07%, após divulgar balanço ontem.

Londres acompanhou a alta das bolsas em geral mais cedo, porém perdeu fôlego. O índice FTSE-100 fechou em queda de 0,19%, em 6.189,64 pontos, mas subiu 0,81% na semana. Entre as mineradoras, Anglo American subiu 2,68% e Glencore avançou 1,77%, porém Antofagasta teve recuo de 4,28%. A petroleira BP recuou 0,72%, diante da perda de força do petróleo.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib subiu 0,02%, para 18.611,34 pontos, mas caiu 1,98% na semana. Entre os bancos, UniCredit caiu 1,76% e Intesa Sanpaolo recuou 1,11%, porém Monte dei Paschi di Siena teve alta de 2,76%. Banco Popolare subiu 2,47%.

Em Madri, o Ibex-35 avançou 0,81%, chegando a 9.051,10 pontos, porém teve recuo de 0,43% na semana. BBVA subiu 0,87% e Santander teve alta de 0,90%, após anunciar que pretende elevar seu dividendo em 2016. Em Portugal, o índice PSI-20 subiu 0,24% na Bolsa de Lisboa, para 5.172,80 pontos, e avançou 3,39% na semana. Um destaque foi o Banco Comercial Português, que subiu 5,91%. Com informações da Dow Jones Newswires