21°
Máx
17°
Min

MDIC: queda nas importações é menor e pode indicar melhora na atividade econômica

Embora a queda nas importações tenha continuado em agosto, o diretor do departamento de estatística e apoio à exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Herlon Brandão, destacou na tarde desta quinta-feira, dia 1º, que as compras do exterior no mês passado já caíram menos, o que pode indicar uma melhora da atividade econômica.

"A queda nas importações nos últimos três meses foi inferior à média do começo do ano. Para se ter uma ideia, a redução de 8,3% nas importações em agosto foi a menor queda mensal desde novembro de 2014, quando a retração ante o mesmo mês do ano anterior foi de 5,5%", afirmou. No acumulado do ano, porém, a queda das importações ainda é de 25,5%.

Brandão destacou que a redução menor nas importações de agosto ocorreu principalmente em bens intermediários. As compras de petróleo e derivados inclusive subiram no mês, ao contrário do que vinha ocorrendo desde janeiro. "Ainda assim, continuamos com queda no déficit na balança de petróleo e derivados em 2016", lembrou o diretor.

Entre janeiro e agosto de 2016, o saldo negativo nessa conta é de US$ 786 milhões, bem inferior ao déficit de US$ 3,210 bilhões registrado no mesmo período do ano passado.

Já pelo lado das exportações, Brandão apontou que o crescimento das vendas por quantidade foi menor em agosto, em parte porque os embarques da safra de soja já ocorreram no meses anteriores.

Por outro lado, ele destacou que o preço do açúcar tem subido no mercado internacional, portanto, é esperado que o produto tenha destaque nas vendas ao exterior até fim do ano. Dentro dos bens manufaturados, acrescentou o diretor, a balança de agosto também trouxe incremento importante nas vendas de automóveis para os Estados Unidos e países da América do Sul.

Faltando apenas quatro meses para o encerramento do ano, o MDIC mantém a projeção de superávit comercial entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões em 2016. Até agosto, o saldo está positivo em US$ 32,370 bilhões. "Mas poderemos rever a projeção de exportações e importações para 2016. Anunciaremos isso em breve, mas a projeção de superávit entre US$ 45 bilhões a US$ 50 bilhões está mantida", completou.