22°
Máx
17°
Min

Membros da equipe econômica reforçam busca por reequilíbrio fiscal, diz Firjan

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) afirmou em nota que os novos integrantes da equipe econômica, anunciados nesta terça-feira, 17, pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reforçam a sinalização de que o atual governo vai priorizar o reequilíbrio fiscal e "buscará maior coordenação entre as políticas monetária e fiscal". "Isto é imprescindível para a retomada de confiança dos agentes econômicos e a recuperação da economia", disse a entidade.

Em coletiva mais cedo, Meirelles anunciou que o economista Ilan Goldfajn será o novo presidente do Banco Central, no lugar de Alexandre Tombini. Antes de ser cotado para o cargo, Goldfajn era economista-chefe do Itaú Unibanco.

"O economista Ilan Goldfajn possui sólida formação acadêmica, reconhecida internacionalmente, e uma trajetória de destaque no mercado financeiro. Também foi diretor do próprio BC e é estudioso de questões relacionadas à sustentabilidade da dívida pública. Tal perfil aponta para uma gestão bem sucedida à frente da autoridade monetária", afirmou a Firjan.

Meirelles também anunciou Carlos Hamilton como novo secretário de Política Econômica, Mansueto Almeida como secretário de Acompanhamento Econômico e Marcelo Caetano como secretário da Previdência. Todos foram elogiados e considerados capacitados para as funções pela Firjan.

"O Sistema Firjan reitera seu apoio a medidas para solucionar o problema fiscal. E, neste sentido, defende a adoção de um sistema de metas para a dívida pública, análogo ao sistema de metas para a inflação, onde um dos pilares seria a criação de um Conselho Fiscal Nacional", defendeu a entidade.