28°
Máx
17°
Min

Mercado de TI deve crescer 3% em 2016 no Brasil, aponta estudo da Abes e do IDC

Após crescer mais que a média mundial em 2015, o mercado brasileiro de tecnologia da informação deve manter a trajetória em 2016. Estudo produzido pela Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em parceria com o IDC mostra que os investimentos em hardware, software e serviços no Brasil tiveram um crescimento de 9,2% em 2015 sobre o ano anterior, ao passo que o indicador mundial foi de 5,6%, na média. A expectativa para 2016 é de um crescimento de 3,0% no Brasil ante média global de 2,4%.

Ainda de acordo com o levantamento, o Brasil se destaca como o primeiro em investimento no setor de TI na América Latina, respondendo por uma fatia de 45% da região, ou US$ 59,9 bilhões. Em seguida, vêm México, com 20% dos investimentos, e Colômbia, com 8%. Ao todo, a região latino-americana soma US$ 133 bilhões.

Por segmento, o mercado de serviços de TI no Brasil avançou 8,2% em 2015 ante 2014 (US$ 14,3 bilhões), o de software cresceu 30,2% (para US$ 12,3 bilhões) e o de hardware teve alta de 6,3% (para US$ 33,4 bilhões). "A participação dos investimentos em hardware dentre o total ainda é próximo a 56%, mas a participação em Software e Serviços vem crescendo ano a ano, devendo superar a participação de 50% no total, conforme o Brasil for aumentado o seu grau de maturidade", afirma o presidente do Conselho da Abes, Jorge Sukarie, por meio de nota.

No ranking mundial de investimentos em TIC, somando telecom, o Brasil perdeu uma posição em 2015, passando ao sexto lugar, com investimentos de US$ 152 bilhões. Mundialmente, o setor de TIC teve alta de 4,3% ante 2104, para US$ 3,7 trilhões, ficando atrás de Alemanha, Reino Unido, Japão, China e Estados Unidos, nesta ordem.