22°
Máx
16°
Min

Microempresas do Paraná lideram em geração de empregos no Sul do Brasil

(Foto: Arnaldo Alves / Arquivo ANPr) - Microempresas do Paraná lideram em geração de empregos no Sul do Brasil
(Foto: Arnaldo Alves / Arquivo ANPr)

O Paraná foi o Estado que mais gerou emprego nas microempresas na região Sul nos primeiros quatro meses deste ano. Dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social, mostram que o Estado apurou um saldo positivo - entre admitidos e demitidos - de 12,8 mil vagas no período. Santa Catarina registrou um saldo de 12 mil e o Rio Grande do Sul de 10,2 mil. O levantamento abrange empresas com até nove funcionários.

“Os dados mostram que as microempresas continuam a gerar empregos, mesmo com a crise. As empresas de menor porte, em geral de caráter familiar, apresentam uma resiliência maior à retração da economia do que as grandes” afirma Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), responsável por compilar os dados. 

Em termos nacionais, as microempresas paranaenses só perdem, em geração de vagas, para São Paulo (52,2 mil empregos) e Minas Gerais (14,6 mil empregos). 

Setores

No Paraná, os setores que mais geraram saldo positivo no quadrimestre foram agricultura e pecuária, com saldo de 1.363 empregos, seguido por educação, com 1.201, alimentação, com 1.049 e transporte terrestre, com 963. O comércio atacadista (exceto de veículos automotores e motocicletas) gerou 881 empregos e serviços para construção, 808.

Novas Empresas

O saldo positivo de emprego nas microempresas também é reflexo do ritmo de abertura de novas empresas no Paraná, especialmente os trabalhadores por conta própria, que segue em crescimento. 

Levantamento da Junta Comercial do Paraná (Jucepar) mostra que o número de novos microempreendedores individuais (MEIs) aumentou de 11,51% de janeiro a abril de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 33.353 novos MEIs constituídos no primeiro quadrimestre desse ano, contra 29.908 em igual intervalo de 2015. 

Os microempreendedores podem ter até um empregado, tem faturamento anual de até R$ 60 mil e tem tributação simplificada. “As estatísticas mostram que as empresas que mais contribuíram para o saldo positivo no emprego foram justamente as que geram até quatro funcionários. São realmente os pequenos negócios que estão segurando o emprego” diz Suzuki Júnior.

Colaboração AENPr