21°
Máx
17°
Min

Ministro diz estar seguro de que haverá aumento de receita das exportações no ano

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, afirmou nesta terça-feira, 5, que não tem dúvidas de que o Brasil terá um aumento na receita de exportações em 2016, que será provocado pela elevação sustentável do volume de embarques ao longo do ano. "Estou seguro de que teremos aumento de receita de exportação, em que pese a acentuada queda de preços que se verifica no mercado internacional", afirmou Monteiro em rápida conversa com jornalistas, após chegar a um evento em Porto Alegre.

Ele disse discordar das avaliações que sinalizam dificuldade na arrancada das exportações brasileiras, dado que a melhora dos dados da balança comercial são atribuídos mais à diminuição das importações. "Estamos ampliando os volumes exportados. O que há é uma queda de preços generalizada que afeta todo o comércio global, particularmente no que se refere às commodities. Mas o Brasil consegue compensar parcialmente essa queda de preço com a ampliação dos volumes", disse.

Monteiro citou os números do primeiro trimestre deste ano, quando a balança brasileira acumulou superávit de US$ 8,398 bilhões, com US$ 32,186 bilhões de importações (queda de 33,4%) e US$ 40,585 bilhões de exportações (queda de 5,1%). "Nesse trimestre houve um crescimento no volume físico exportado em todos os grupos de produtos, 25% nas commodities e 12,5% nos manufaturados. Isso significa que o Brasil está compensando em grande medida esta forte queda de preços com um aumento de volume", falou. "O comércio brasileiro cresce, em volume, mais do que a média do comércio internacional."

Ele também rejeitou a possibilidade de que o recente movimento de valorização do real possa influenciar negativamente as exportações. "O que deve se levar em conta não é um momento de volatilidade, mas a taxa média do câmbio real ao longo do ano, e eu tenho certeza de que ela será amigável para o exportador", afirmou.

Segundo Monteiro, o MDIC insiste na estimativa de um saldo comercial de US$ 35 bilhões para 2016 porque ele prefere se apoiar em uma projeção "mais conservadora", embora as previsões do mercado estejam convergindo para um número bastante superior a este. "Eu mantenho os US$ 35 bilhões, mas lembrando que já há projeções indicando um valor de superávit maior, inclusive que alcance os US$ 40 bilhões", avaliou.

Monteiro está em Porto Alegre para participar de almoço com empresários exportadores do Rio Grande do Sul. Questionado sobre o cenário político e o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que tramita no Congresso, ele disse que não trataria do assunto. "Eu trato de exportação", disse.