22°
Máx
17°
Min

MME tem expectativa de arrecadar R$ 11 bilhões com outorga de usinas da Cemig

O ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, disse que o governo tem previsão de arrecadar R$ 11 bilhões com os leilões de três usinas hidrelétricas da Cemig com contratos de concessão em vencimento e que serão relicitadas até o fim do ano que vem.

Trata-se das usinas de São Simão, Miranda e Volta Grande, que não aderiram à proposta de renovação antecipada de concessão feita pelo governo em 2012.

O anúncio foi feito durante apresentação de projetos incluídos no Programa de Parcerias em Investimentos (PPI), em evento realizado no Palácio do Planalto. Segundo Fernando Filho, a previsão é de que os projetos sejam oferecidos ao mercado, mas ele sinalizou que a Cemig demonstrou interesse em permanecer à frente das usinas.

"Estamos em processo de negociação", comentou Fernando Filho. O ministro do MME disse que até 31 de dezembro de 2017 seis distribuidoras de energia também serão concedidas.

Pré-sal e minérios

Ele destacou que, no primeiro semestre 2017, devem ser concedidas as áreas unitizáveis do pré-sal.

Mencionou ainda quatro projetos do setor de mineração que devem ser repassados à iniciativa privada: uma mina de fosfato em Miriri, na divisa de Pernambuco com Paraíba; uma mina de cobre, chumbo e zinco em Tocantins; uma mina de carvão em Candiota, no Rio Grande do Sul; e outra de cobre, em Bom Jardim, Goiás.

Valec

O ministro dos Transportes, Portos e Aeroportos, Maurício Quintella, afirmou que as concessões de ferrovias planejadas não vão acabar com as operações da estatal Valec, que até agora tem sido responsável pela construção das malhas ferroviárias da Norte-Sul e da Fiol, a ferrovia da Bahia.

"A Valec opera as ferrovias e ela poderá ainda ter um papel importantíssimo no setor no Brasil. Ela terá de se reinventar", comentou Quintella. "Não há nenhum plano de governo de desmonte da Valec, pelo contrário."