23°
Máx
12°
Min

Moinho de Sertanópolis está entre as melhores empresas para trabalhar

(foto: Divulgação) - Moinho de Sertanópolis está entre as melhores empresas para trabalhar
(foto: Divulgação)

O Moinho Globo, indústria de Sertanópolis que produz as marcas Globo e Famiglia Venturelli e emprega 215 funcionários, está entre as melhores empresas para trabalhar no Brasil, de acordo com a edição 2016 do guia Great Place To Work. A premiação aconteceu nesta segunda-feira (15), em São Paulo, na categoria Médio Porte Nacionais (de 100 a 999 funcionários). São 35 companhias nesta categoria.

A indústria de Sertanópolis também foi destacada entre no sub ranking “Melhores do Setor da Indústria”, que inclui 20 empresas – tanto de grande e médio porte, quanto nacionais e multinacionais.

Este é o quinto ano que o Moinho Globo é elencado pelo Great Place to Work, considerado o maior estudo global de avaliação do índice de confiança dos funcionários com o ambiente de trabalho e análise das melhores práticas de gestão de pessoas. A pesquisa é realizada em mais de 50 países e no Brasil está em sua 20ª edição. O Guia Melhores Empresas para Trabalhar 2016/2017 estará nas bancas a partir de 20 de agosto.

Segundo o presidente do Moinho Globo, Giancarlo Venturelli, a relação de confiança é a essência da pesquisa Melhores Empresas para Trabalhar. Ele comenta que, no questionário respondido pelos funcionários, as respostas são agrupadas dimensões que explicam o que é um excelente lugar para trabalhar na visão dos empregados: um lugar onde você confia nas pessoas para quem trabalha; tem orgulho do que faz e gosta das pessoas com quem trabalha.

“Essa nova conquista nos enche de orgulho. Nossa empresa se empenha e investe na promoção de um ótimo ambiente de trabalho e tem em seu DNA uma real preocupação com o bem-estar de seus colaboradores”, frisa o presidente.

Empresa familiar, fundada há 62 anos, o Moinho Globo está construindo em Sertanópolis sua nova planta industrial, que deve entrar em operação no ano que vem, aumentando a capacidade de produção das atuais 450 toneladas/dia para 600 toneladas/dia, com um investimento de cerca de R$ 80 milhões.

(com assessoria de imprensa)