21°
Máx
17°
Min

Na contramão de Nova York, Bovespa cai com Romero Jucá e petróleo

A Bovespa opera em queda nesta segunda-feira, 23, na contramão de suas pares em Wall Street. Às 10h33, o Ibovespa recuava 1,77%, aos 48.842,15 pontos. Internamente, os investidores reagem à notícia de que um pacto para deter o avanço da Operação Lava Jato sobre o PMDB teria sido orquestrado pelo ministro do Planejamento da gestão Michel Temer, Romero Jucá.

Também pesa o sentimento de cautela diante da fraqueza das cotações dos contratos futuros de petróleo no exterior, em meio a preocupações com o excesso de oferta da commodity no mundo. As ações da Petrobras são penalizadas e perdem 3,00% (ON) e 4,16% (PN). Já os papéis da Vale recuam 1,20% (ON) e 1,28% (PNA).

O preço do minério de ferro iniciou a semana com queda de 5,4% no mercado à vista chinês, cotado a US$ 52,7 por tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

Em Wall Street, o Dow Jones tem ganho de 0,05%, o S&P 500 sobe 0,03% e o Nasdaq avança 0,18%. Mais cedo, o responsável pelo Fed de St. Louis, James Bullard, que tem poder de voto este ano nas reuniões de política monetária, falou em um evento na China.

Ele declarou que a melhora do mercado de trabalho pode colocar pressão na inflação, aumentando as chances de um aumento de juros nos EUA. Há mais fatores para justificar a alta do que para não elevar os juros, disse ele.