22°
Máx
16°
Min

Não existe erosão da confiança, diz Meirelles sobre ceticismo do mercado

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, nega que o governo tenha perdido a credibilidade entre os agentes do mercado financeiro, especialmente sobre a perspectiva de resolução do problema macroeconômico. Após a chegada da comitiva brasileira à cidade de Hangzhou, onde acontecerá a reunião das 20 maiores economias do mundo, o G-20, o ministro avaliou que a tramitação da emenda à constituição para limitar aumento de gastos públicos pode ser considerada "rápida".

"Não existe essa erosão de confiança", disse o ministro em entrevista à imprensa brasileira. "A minha medida de confiança do mercado está expressa nos índices de confiança, seja do comércio, da indústria, de serviços e do consumidor. Esses índices estão subindo fortemente. Então, a confiança está cada vez maior, está se reforçando" disse Meirelles.

O ministro reconhece que há preocupação sobre a solução do problema fiscal, mas nota que a solução efetiva exige medidas estruturais. Ao lembrar que os gastos têm apresentado crescimento consistente desde 1991, o ministro argumentou que as soluções não são simples e rápidas. "Exatamente por isso que nós estamos enfrentando a questão constitucional", disse.

Mesmo com essa dificuldade para a tramitação, o ministro da Fazenda avalia que o tema tem evoluído "muito rápido". "O procedimento constitucional está seguindo muito bem. As audiências públicas estão caminhando. O cronograma está indo aceleradamente", disse. "Considerando-se a dimensão da mudança, acho que ela está indo muito rápido."

Com o avanço da emenda constitucional aprovada e outras medidas complementares, o ministro diz ter "certeza que esse ganho de confiança será maior".