23°
Máx
12°
Min

Não prevemos necessidade de novos cortes de juros, diz Draghi, do BCE

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou nesta quinta-feira, durante entrevista coletiva à imprensa em Frankfurt, que a instituição que comanda "não prevê a necessidade de novos cortes de juros", após os anúncios feitos mais cedo. Segundo ele, porém, fatos novos poderiam mudar essa situação.

"Há limites para o quão negativas as taxas de juros podem ficar", disse Draghi. De qualquer modo, as taxas de juros continuarão baixas "para além do horizonte de nosso programa de compras". O presidente do BCE defendeu o pacote anunciado pelo BCE, afirmando que as medidas não são "uma reação exagerada" aos preços fracos do petróleo. "Mostramos que não temos pouca munição."

Draghi reconheceu, contudo, que a instituição deve demorar para cumprir a meta de inflação. "Precisamos de recuperação contínua e sólida para cumprir a meta de inflação", disse ele. Draghi ressaltou, porém, que a zona do euro não passa por uma deflação. "Demorar mais para cumprir meta de inflação não significa deflação."

A autoridade disse também que as medidas tomadas são adequadas para responder às mudanças nas condições econômicas. A equipe do BCE reduziu suas projeções para o crescimento econômico e a inflação na zona do euro. "Esperamos que as condições de financiamento melhorem significativamente" com as novas medidas, afirmou Draghi, que aproveitou para ressaltar que o aumento na compra de ativos, ainda que possa resultar num enfraquecimento do euro, não é a mesma coisa que intervir no câmbio. Ele lembrou ainda que a política acomodatícia ajuda as pessoas a reduzirem suas dívidas.

O BCE anunciou um corte nas suas principais taxas de juros, ampliou o volume mensal de compras de seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês) e lançou uma nova série de quatro operações de refinanciamento de longo prazo direcionadas, as chamadas TLTROs, como parte de seu pacote anunciado nesta quinta-feira. Draghi disse que os dirigentes do BCE esperam "uma demanda considerável" pelas novas TLTROs. As autoridades também projetam que as condições de financiamento "melhorem significativamente", com as novas medidas.

Draghi comentou ainda o fato de que há um sistema rotativo de votação entre os dirigentes do BCE. Segundo ele, esse sistema não fez diferença nas discussões em andamento pela instituição. "A grande maioria do conselho tem sido a favor das decisões", afirmou.